A TVI estreou no passado Domingo o programa A Tua Cara Não Me É Estranha. E a estreia correu bem à estação, que acabou por liderar destacadamente o dia. Com 13.1% de audiência e 43.0% de share, o programa não foi um grande sucesso de audiências, mas conseguiu um resultado bastante bom (principalmente se olharmos para o share).

.

O PROGRAMA DA SEMANA

Adaptado do original espanhol Tu Cara Me Sueña, o novo programa de talentos da TVI teve de tudo o que se pode esperar num programa de televisão: bons momentos, maus momentos e momentos deprimentes. Começando pelo conceito do programa, deve-se notar à partida que este tipo de formato já está um pouco gasto em televisão. Pessoas a imitar cantores famosos já é muito à Chuva de Estrelas e os tempos de ouro destes formatos já lá vão. Ainda por cima quando são famosos a imitar outros famosos. Às tantas estamos a assistir a um espetáculo que mais parece um desfile de máscaras, onde as personagens encarnadas pelos concorrentes são algumas das personalidades mais conhecidas no mundo da música.

https://i2.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/980x735-2.jpg?resize=497%2C331

Já em 2009 a TVI experimentou o formato, ao levar até junto do público o Nasci P’ra Cantar com Herman José. A diferença é que os concorrentes eram anónimos. As onze emissões deste concurso registaram 7.7% de audiência média e 32.9% de share. A emissão de estreia, transmitida a 5 de Julho de 2009, registou o melhor resultado com 12.7% de audiência média e 41.5% de share. Tendo em conta que os resultados de estreia deste A Tua Cara Não Me É Estranha são bastante semelhantes ao formato apresentado por Herman José, poderemos questionar o sucesso do programa daqui para a frente.

É claro que temos de ter em conta que o programa de Herman foi emitido no verão, enquanto este está a estrear em pleno janeiro, supostamente uma época em que o consumo será mais elevado. Depois, não podemos deixar de constatar que a presença de Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira no programa são cruciais para o sucesso do mesmo. Estiveram mal em alguns momentos, é verdade, nomeadamente quando receberam Julio Iglesias Jr. Mas no geral, foi a dupla, que já conquistou Portugal nas manhãs da TVI, que conseguiu ‘segurar’ este programa e torná-lo divertido.

https://i2.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/980x735.jpg?resize=249%2C376

Apesar de tudo isto, a tarefa não será fácil para a dupla de apresentadores, e devido ao formato não ter grandes mudanças ao longo das emissões, os espetadores poderão ‘cansar-se’ rapidamente. Há que ter em conta que os apresentadores não fazem o programa. Neste caso, o destaque vai inteiramente para eles, mas só isso não basta. Não fosse o carisma dos apresentadores do Você na TV e este concurso musical não passaria de uma Academia de Famosos em pleno ano de 2012. O que não é bom, tendo em conta que os tempos mudaram e os formatos também deveriam ter-se alterado ao longo dos anos.

É que ver pessoas a imitar cantores famosos, enquanto se vestem e cantam como eles, parece uma ideia já antiquada. O que também é estranho no formato e completamente dispensável são as entrevistas pré-gravadas de Goucha aos concorrentes antes das atuações. A ideia veio do formato original, mas é tudo menos original. Essa ideia de um  concorrente a entrar num “caixa mágica” e a sair de lá já vestido como o cantor que vai imitar, já é muito Chuva de Estrelas.

https://i2.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/980x735-1.jpg?resize=261%2C394

Até porque na altura era engraçado, e resultava num programa que era totalmente gravado. Aqui, num programa em direto, para além de pouco original torna-se um pouco estranho. Tal e qual como regresso tão aguardado de Sónia Brazão, também ele estranho, e que aconteceu com a atriz a vestir a pele de… Quim Barreiros! Numa imitação bastante fraca (pudera, quem é que se lembraria tal coisa!), este foi o primeiro momento musical da noite, que antevia uma gala repleta de momentos a roçar o ridículo, o que acabou por marcar quase todo o programa. A atriz deu o seu melhor, mas era difícil conseguir fazer muito melhor do que aquilo que fez! E a caracterização não ajudou em nada!

Destaque para João Paulo Rodrigues como Freedie Mercury (que acabou por ganhar esta primeira gala), o verdadeiro momento de puro humor, numa excelente imitação e interpretação da música I Want to Break Free. Acabou por ganhar graças ao público, pois o júri não lhe deu a vitória. Um júri composto por 4 nomes bem conhecidos do público. O já habitual nestes formatos, Luís Jardim, que esteve igual a si próprio nas avaliações que fez. O galã José Carlos Pereira, que está ali porque parece bem e porque o público gosta dele. A diva Alexandra Lencastre, que veio animar o público com a sua (cada vez maior) excentricidade. Será? E António Sala, num excelente regresso à televisão, que provou o quão profissional e talentoso é.

https://i2.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/980x735-3.jpg?resize=494%2C324

Para a semana há mais. E haverá mais ao longo de várias semanas. Sempre com os mesmos 8 nomes, sempre com as mesma estrutura, sempre com aquela parte estranha e confusa das pontuações e sempre com atuações estranhas e escolhas duvidosas. Toy a fazer de Simone de Oliveira? A sério? Não se percebe ainda o que é que vai acontecer na próxima semana. Uma coisa é certa, Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira têm pela frente muito trabalho para manter os bons resultados de A Tua Cara Não Me É Estranha!

Nota Final – 10/20