Ao longo do deste ano serão apresentados mais de 600 espetáculos na Capital Europeia da Cultura.

Guimarães é Capital Europeia da Cultura, acolhendo um grande encontro de criadores e criações — música, cinema, fotografia, artes plásticas, arquitetura, literatura, pensamento, teatro, dança e artes de rua. Vão cruzar-se os produtos artísticos imaginados e gerados pelos seus residentes com os que de toda a Europa afluirão à cidade. Ao longo de um ano, Guimarães será promotora da diversidade cultural que caracteriza a Europa, dando a conhecer as suas manifestações culturais e acolhendo as de outros países”, pode ler-se no site da Fundação Cidade de Guimarães. A expectativa é gigante.

Guimarães 2012 apresenta uma programação intensa que apresentará mais de 600 espetáculos durante o ano de 2012. A Capital Europeia da Cultura (CEC) vai privilegiar as residências artísticas e a produção original feita a partir da cidade, razão pela qual na agenda não abundam nomes de grandes estrelas internacionais. O objetivo não é entrar em competição com nenhum festival de verão, daí esta política de programação.

httpv://www.youtube.com/watch?v=uYA12_r0RDk&feature=endscreen

Pat Mathney, Ivan Lins, Michelangelo Pistoletto, Win Mertens, Ute Lemper, Jean-Luc Godard, Anne Teresa Keersmaeker e Christian Boltanski são, em diferentes áreas, alguns dos maiores nomes da programação da Capital Europeia da Cultura. Mas o destaque maior vai para iniciativas que têm Guimarães como mote central.

É essa orientação que trará à cidade a coreógrafa Mathilde Monnier, no mês de maio, ou Sanja Mitrovic, em setembro. Já em março, Guimarães receberá também a estreia de Europa, a nova composição do belga Wim Mertens, numa colaboração com a nova Fundação Orquestra Estúdio – orquestra essa que é liderada pelo reconhecido maestro Rui Massena.

O programa é intenso nos primeiros dias, com o concerto de Buraka Som Sistema, a 28 de janeiro e, no dia seguinte, a ante-estreia do filme Os Marretas. O ciclo inicial da CEC prolonga-se até ao início de fevereiro com a segunda edição do festival GuiDance, que tem confirmadas as presenças da companhias Les Ballets C. de la B. e Rosas e dos portugueses Sofia Dias e Vítor Roriz.

No cinema estreiam-se 20 produções encomendadas pela Guimarães 2012, com destaque para o filme de Jean-Luc Godard, a 1 de julho. Estão também previstos, por exemplo, ciclos dedicados a Glauber Rocha e Pedro Costa, ambos em setembro.

Na área de arte e arquitetura haverá retrospetivas das obras de John Cage, com a exposição The Anarchy of Silence, em março, e do gabinete de arquitetura experimental Archigram, em setembro. O programa inclui ainda O ser urbano, nos caminhos de Nuno Portas, exposição levada a cabo no mês de março por Nuno Grande. No final do ano, Michelangelo Pistoletto vai conceber para a Guimarães 2012 o projeto Terzo Paradiso, que vai ocupar a ASA, o Paço dos Duques e vários espaços públicos entre outubro e dezembro.

O Espalha-Factos vai estar em cima do acontecimento. Acompanha aqui todos os desenvolvimentos deste que vai ser, sem margem para dúvidas, um dos acontecimentos do ano.

Sejam bem-vindos a Guimarães: Capital Europeia da Cultura!