Na sequência do dossier Serviço Público explorado neste site, lançámos um inquérito aos nossos leitores: “Concorda com a privatização da RTP?“. 60% dos votantes responderam “Não“.

Durante 40 dias, e após um artigo com vários pontos de vista sobre o processo de privatização da Televisão Pública e outro sobre as suas diferenças em relação aos privados, 273 pessoas manifestaram a sua opinião, sendo o “Não” a opção mais votada, com 164 votos. 83 pessoas (30,40%) disseram “Sim” à privatização, enquanto que 26 (9,52%) a defendem desde que se mantenha um canal sem extinção do espaço publicitário. A publicidade é uma das questões mais polémicas na discussão sobre o tema.

Contra a privatização da RTP têm-se manifestado os presidentes das empresas que gerem a SIC e a TVI, por considerarem que no mercado publicitário não há espaço para mais um canal privado. O professor universitário e vice-presidente da Entidade Reguladora da Comunicação (ERC) Alberto Arons de Carvalho lançou um abaixo-assinado em defesa do serviço público de televisão e tem sido um dos principais rostos do inconformismo perante a intenção do Governo.

A privatização de um dos canais da RTP deverá mesmo avançar já em 2012, decisão que vai ao encontro das recomendações do grupo de trabalho liderado por João Duque. Miguel Relvas garante: “Não há qualquer adiamento ou cancelamento. A privatização vai ser feita em 2012, como está definido pelo Governo“.