Numa tentativa de fazer frente ao gigante iTunes, a Google lança agora nos EUA uma loja online de música, a Google Music.

O anúncio do lançamento da Google Music foi feito ontem em Los Angeles. Pretende ser uma loja para os aparelhos Android comprarem, armazenarem e ouvirem músicas.

As editoras EMI, Sony Music Entertainment, Universal e mais outras 23 cedem conteúdos para a sua biblioteca, que conseguirá juntar cerca de 13 milhões de canções, segundo referiu a BBC.

Desde 2003, quando a loja iTunes é lançada, que os iPod, iPhones e iPads apresentam um enorme sucesso entre os consumidores de música destes aparelhos. Porém, um estudo da consultora  Gartner demonstrou que metade dos smarthphones vendidos entre Julho e Setembro vêm equipados com o sistema Android, o que representa cerca de 60 milhões de aparelhos. Sendo que os aparelhos que usam o sistema iTunes da Apple representam apenas 15% da quota de mercado, esta poderá ser uma grande oportunidade de crescimento da Google em prejuízo para a marca da maçã.

Esta Google Music não preocupa apenas a Apple, mas também o Facebook, já que se estende à rede social Google +, permitindo que os consumidores partilhem lá a sua música com os seus contactos, que poderão ouvir a música sem ter de a comprar.

httpv://youtu.be/NI8rQEHoE24

Os preços são também vantajosos, entre 51 e 95 cêntimos do euro. As músicas não chegam com DRM de protecção contra cópias. O Google promete ainda oferecer uma faixa para download grátis por dia e irá apresentar material exclusivo. Os Coldplay e Rolling Stones já disseram que vão disponibilizar faixas inéditas ao vivo neste Google Music.

Pretende ainda incentivar as editoras pequenas e os cantores independentes, tendo criado o espaço Artist Hub para esse efeito. Qualquer músico pode deter lá a sua página pessoal, tendo apenas de pagar uma taxa de 25 dólares (18,5 euros) e dar 30% de cada venda ao site.

Por agora esta nova “biblioteca musical” está disponível apenas nos EUA.