O Verão voltou à capital no passado dia 11 de Novembro e trouxe consigo muita cor, alegria e a música d’ Os Capitães da Areia. À beira-mar, o espaço TMN ao vivo, no Cais do Sodré, serviu de praia a este Verão que quer ser eterno.

Foi numa agradável noite de magusto que os Capitães Pedro, Tiago, António e Vasco deram o concerto de lançamento do seu Verão Eterno d’ Os Capitães da Areia, para uma sala muito bem composta. No palco, o pop reinou e os quatro rapazes de calças coloridas e ar veraneante fizeram a festa como só eles o sabem, com duas “marujas” no coro e acompanhados por mais três marujos.

O já mítico Capitão Bomba abriu a noite especial e o apetite para o que aí viria. Seguiram-se Brincos de Cereja, Os Mistérios da Poupança e Senhora das Indecisões. Uns mais conhecidos do que outros, os temas da banda transbordam jovialidade e falam de raparigas, de amores e desamores, mais ou menos adolescentes. Mariana Bem-Me-Quer e Portas do Sol continuaram a animar um público que foi perdendo a timidez.

Não faltaram os óculos de sol de que o vocalista nunca se separa ou a sombrinha chinesa azul que vai acompanhando as danças dos Capitães. A certa altura, o Capitão Pedro enrola-se na bandeira azul, branca e vermelha que traz consigo e esclarece que aquela “não é a bandeira de França. É a bandeira náutica d’ Os Capitães da Areia. E nós é que sabemos o que significa”. E foi assim que se começaram as primeiras notas de Bailamos no Teu Microondas, que fez explodir o TMN ao vivo. É impossível resistir a este tema que tão bem cumpre o seu título: não havia no público quem não bailasse com a banda.

No palco, os quatro Capitães transpiravam alegria e animação e o Capitão Pedro, o vocalista, não consegue parar um segundo, interagindo sempre muito com os presentes, incentivando-os a cantar e a dançar, no seu tom tipicamente divertido e provocatório. Mas nem era preciso pedir mais, Dezassete Anos, o single de estreia da banda faz a temperatura subir mais ainda, com a letra da canção a ser cantada em coro por todos os fãs presentes.

E porque a pop é a rainha nesta noite, e sempre com um cheirinho do que de bom se fazia por cá nos anos 80, Alegria, dos Heróis do Mar mereceu uma cover da banda, que a anunciou dizendo aos presentes: “Vocês não nos dão alegria”. Resultando numa efusiva recepção do tema, cujo refrão “não há ninguém capaz de me dar alegria” foi incansavelmente repetido em coro por todos.

Fazendo por vezes lembrar Vampire Weekend, Os Capitães da Areia continuaram a tocar e a electrizar os presentes. As já conhecidas Grécia Revista e Aumentada e Raparigas da minha Idade (que arranca sempre alguns sorrisos pela provocação feita às raparigas de Cascais que “andam tão longe dos demais”), continuaram a animar a noite, até que, todos abandonam o palco, deixando ao leme apenas o guitarrista, Capitão Tiago, para tocar o tema que dá nome ao primeiro álbum da banda: Verão Eterno. Um solo de guitarra muito aplaudido que fez lembrar Best Coast.

No encore, os Capitães decidiram trocar de posto, perante o espanto duma plateia mais animada a cada momento. O baixista Capitão Vasco veste agora a pele de vocalista e canta a divertida Boa Moça.

Com Pedro de novo ao comando do navio, faz-se uma viagem no tempo. Os Capitães da Areia relembram a primeira música tocada enquanto banda – Rapazes de Lisboa -, carinhosamente recebida pelo público, que a canta em conjunto com os quatro rapazes.

A encerrar este concerto de lançamento, ouve-se Dezassete Anos uma vez mais. O público vibra com o último tema. Capitão Pedro chama o mentor Manuel Fúria e, sempre imprevisível, a determinada altura, sai do palco às cavalitas do vocalista d’ Os Golpes, para o meio da multidão que se dispõe em círculo em redor de ambos. Pedro continua a cantar, até que, a certo momento, Fúria e o Capitão desequilibram-se e caem os dois ao chão, levantando-se de imediato, entre risos. Mas a música não pára, e é a vez de Pedro continuar a brilhar sozinho no meio da multidão, que o acompanha em coro: “PapararaPaparara…”.

Verão Eterno d’ Os Capitães da Areia foi assim apresentado com um espectáulo à altura do álbum, e onde se pôde tão bem constatar como os temas funcionam bem ao vivo. Pedro, Tiago, António e Vasco mostraram mais uma vez o poder contagiante que têm em palco e não deixaram indiferentes as muitas pessoas que se reuniram no TMN ao vivo para os ver, que, certamente, continuaram a trautear as suas músicas muito para além do concerto.

Alinhamento:

Introdução

Capitão Bomba

Brincos de Cereja

Os Mistérios da Poupança

Senhora das Indecisões

Mariana Bem-me-quer

Amor Exige Propaganda

Portas do Sol

Bailamos no teu Microondas

Dezassete Anos

Às Minhas Dores

Alegria

Grécia Revista e Aumentada

Raparigas da Minha Idade

Verão Eterno

Boa Moça

Rapazes de Lisboa

Dezassete Anos

Reportagem e fotos por: Inês Moreira Santos