0 a 20 - voz portugal

De 0 a 20 [A Voz de Portugal – Prova Cega]

Esta semana avaliamos A Voz de Portugal na fase da Prova Cega. Nesta fase, o grupo de avaliadores escuta os candidatos de costas, candidatos esses que tentarão fazer com que a cadeira de quem avalia rode, em sinal de aprovação. Quando isso acontece, a prova foi superada e o candidato está n’A Voz de Portugal.

O Programa da Semana

Passaram apenas duas emissões desde a estreia mas até ao final desta fase de formação de equipas pouco deverá mudar na estrutura do programa. Por isso mesmo, pode-se afirmar desde já que A Voz de Portugal é um dos melhores concursos que estrearam em Portugal nos últimos anos. O programa é cativante, tem boas vozes, tem uma mecânica interessante e tem boas presenças, tanto em palco como na cadeira dos mentores.

https://i1.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/308462_301396989874631_233697049977959_1389583_1249723470_n.jpg?resize=382%2C212

O primeiro aspecto bem positivo deste programa é a forma de apuramento. Aqui são avaliados pelas suas vozes e não pela aparência ou aspecto físico. Os concorrentes passam para a fase seguinte por aquilo que valem realmente, porque esse é o objectivo do programa, descobrir a verdadeira voz de Portugal.

Depois, outro ponto muito interessante é o facto de não serem apenas os concorrentes a competirem entre si. Também os mentores entram em competição, querendo ficar com as melhores vozes na sua equipa. Neste aspecto, a escolha dos mentores também foi muito bem conseguida, todos eles muito diferentes entre si. Neste campo, destaca-se a talentosa e divertida Mia Rose, sempre simpática e assertiva nos seus comentários.

https://i0.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/293686_310806202267043_233697049977959_1426223_235342763_n.jpg?resize=238%2C358

E tal como um dos mentores já disse, neste programa eles não são júris. São isso mesmo, mentores, e por isso mesmo o objectivo deles é escolher os melhores concorrentes para trabalharem juntos e irem o mais longe possível, porque eles também estão a concorrer.

Outra grande diferença entre este formato da RTP e outros concursos de talentos como o Ídolos ou Portugal Tem Talento, por exemplo, é que aqui não há os chamados ‘cromos’. Neste programa só as boas vozes têm lugar. E mesmo aquelas que não passam, têm em comum uma excelente capacidade vocal e a luta por um sonho no palco. Aqui, os concorrentes não são gozados ou humilhados, são antes aplaudidos e elogiados.

E enquanto a Prova Cega se realiza, temos uma Catarina Furtado juntamente com os familiares e amigos dos concorrentes a torcer por eles. Tal como Bárbara Guimarães em Portugal Tem Talento, Catarina tem aqui a oportunidade de se tornar mais ‘popular’ e de estar junto do público.

https://i1.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/223637_277244828956514_233697049977959_1282288_5592239_n.jpg?resize=238%2C358

Porque antigamente era chamada de ‘namoradinha de Portugal’ por isso mesmo, ao longo dos últimos tempos foi se tornando cada vez mais numa ‘senhora de gala’. Mostra talento e mostra ainda que pode surpreender. Quando as galas começarem ganhará protagonismo e essa será a verdadeira prova da apresentadora, não que ela tenha de provar alguma coisa…

Podemos então dizer que este é um bom exemplo de programa de entretenimento de qualidade. Um programa onde todos os géneros musicais passam por lá, onde pessoas de todos os géneros e idades podem participar e onde o que interessa mesmo é ter voz e ser A Voz de Portugal. Daqui a umas semanas voltamos a comentar o programa, já numa fase avançada, verificando se a nota atribuída nesta edição continuará a ser a nota merecida.

Nota final: 18/20

 

https://i0.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/OMelhoreOPiorDe0a20-7Novembro.png?resize=658%2C510

 

Mais Artigos
Amar Pelos Dois
‘Amar Pelos Dois’ também entra nas nomeações aos Grammys 2021