Abduction

Identidade (não) Secreta

Nathan (Taylon Lautner) sempre teve a sensação de estar a viver a vida de outra pessoa. Quando o adolescente Nathan e a sua amiga Karen (Lily Collins) se deparam com a fotografia do jovem num website de crianças desaparecidas, suspeitas de rapto, as suspeitas do adolescente de uma Identidade Secreta confirmam-se…

Em choque, o rapaz confronta os pais, mas antes que estes consigam explicar o que quer que seja dois homens irrompem pela casa, matando o casal e exigindo que Nathan venha com eles. Com Karen, os jovens partem numa corrida desenfreada na busca pela salvação daqueles que a tanto custo os querem apanhar. Mas à medida que os seus oponentes se aproximam, Nathan começa a aperceber-se que a única maneira de sobreviver e resolver o mistério passará por deixar de fugir e resolver o assunto pelas suas próprias mãos.

Identidade Secreta conseguiu um dos maiores feitos dos últimos tempos: reunir consenso entre a audiência e especialistas na classificação deste filme como um dos piores atentados à indústria cinematográfica. O guião, aparentemente interessante, anunciava uma lufada de ar fresco no mundo dos filmes de acção que, apesar de ténue (os clichés eram óbvios), detinha alguns aspectos promissores. Infelizmente, a promessa é rapidamente desfeita quando Taylor Lautner arranca a camisola e parte para a resolução do mistério da sua identidade. As incongruências na narrativa são devastadoras e o filme acaba por se tornar confuso, inconsistente e simplesmente absurdo.

Relativamente ao elenco, e procurando afastar qualquer descrença relativamente às capacidades de actuação de Taylor Lautner, a verdade é que esta performance em nada abona a seu favor. Num filme que se auto-denomina de acção/drama, é curioso como o protagonista não consegue ir para além de duas expressões faciais. As honras vão mesmo para os actores Maria Bello (mãe de Nathan), Alfred Molina (agente da CIA) e Sigourney Weaver (psiquiatra do protagonista), contudo os seus papéis são de tal modo secundários que não conseguem demonstrar nem o seu talento, nem tão pouco salvar, por uns momentos que seja, o filme.

Compreende-se a aposta: Taylor Lautner é um jovem com enorme popularidade por entre os jovens depois do papel de Jacob na saga Crepúsculo. Todavia, nem sequer os fãs mais dedicados podem ignorar o facto de o filme se revelar um verdadeiro desastre.

2/10

Ficha Técnica

Título original: Abduction

Realizado por: John Singleton

Escrito por: Shawn Christensen

Elenco: Taylor Lautner, Lily Collins, Alfred Molina, Jason Isaacs, Maria BelloSigourney Weaver

Género: Acção, Drama

Duração: 106 minutos

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Vogue Portugal
Capa da Vogue Portugal sobre saúde mental criticada no país e no mundo