Nathan (Taylon Lautner) sempre teve a sensação de estar a viver a vida de outra pessoa. Quando o adolescente Nathan e a sua amiga Karen (Lily Collins) se deparam com a fotografia do jovem num website de crianças desaparecidas, suspeitas de rapto, as suspeitas do adolescente de uma Identidade Secreta confirmam-se…

Em choque, o rapaz confronta os pais, mas antes que estes consigam explicar o que quer que seja dois homens irrompem pela casa, matando o casal e exigindo que Nathan venha com eles. Com Karen, os jovens partem numa corrida desenfreada na busca pela salvação daqueles que a tanto custo os querem apanhar. Mas à medida que os seus oponentes se aproximam, Nathan começa a aperceber-se que a única maneira de sobreviver e resolver o mistério passará por deixar de fugir e resolver o assunto pelas suas próprias mãos.

Identidade Secreta conseguiu um dos maiores feitos dos últimos tempos: reunir consenso entre a audiência e especialistas na classificação deste filme como um dos piores atentados à indústria cinematográfica. O guião, aparentemente interessante, anunciava uma lufada de ar fresco no mundo dos filmes de acção que, apesar de ténue (os clichés eram óbvios), detinha alguns aspectos promissores. Infelizmente, a promessa é rapidamente desfeita quando Taylor Lautner arranca a camisola e parte para a resolução do mistério da sua identidade. As incongruências na narrativa são devastadoras e o filme acaba por se tornar confuso, inconsistente e simplesmente absurdo.

Relativamente ao elenco, e procurando afastar qualquer descrença relativamente às capacidades de actuação de Taylor Lautner, a verdade é que esta performance em nada abona a seu favor. Num filme que se auto-denomina de acção/drama, é curioso como o protagonista não consegue ir para além de duas expressões faciais. As honras vão mesmo para os actores Maria Bello (mãe de Nathan), Alfred Molina (agente da CIA) e Sigourney Weaver (psiquiatra do protagonista), contudo os seus papéis são de tal modo secundários que não conseguem demonstrar nem o seu talento, nem tão pouco salvar, por uns momentos que seja, o filme.

Compreende-se a aposta: Taylor Lautner é um jovem com enorme popularidade por entre os jovens depois do papel de Jacob na saga Crepúsculo. Todavia, nem sequer os fãs mais dedicados podem ignorar o facto de o filme se revelar um verdadeiro desastre.

2/10

Ficha Técnica

Título original: Abduction

Realizado por: John Singleton

Escrito por: Shawn Christensen

Elenco: Taylor Lautner, Lily Collins, Alfred Molina, Jason Isaacs, Maria BelloSigourney Weaver

Género: Acção, Drama

Duração: 106 minutos