Em dia de mudança de horário, a noite foi mais longa mas prometeu ser agradável. No palco principal da Festa da Latas e Imposição das Insígnias, os portugueses We Trust e os britânicos Kaiser Chiefs, foram os reis da noite.

Com apenas um álbum editado, estreia-se assim a banda de André Tentúgal nos festivais académicos. Time (Better Not Stop) é certamente o single mais conhecido desta banda, no entanto nesta noite, deu-nos a conhecer muito mais para além do êxito que faz parte da setlist do site da Hugo Boss.

These New Countries foi o álbum apresentado ao vivo onde provou aos presentes que a banda é bem mais do que um single de estreia.

Com pontuais esgotados, este foi certamente o dia predilecto de todos. Com o final do concerto dos We Trust e uma breve pausa, à 00h30 começa o tão esperado concerto. Acordes começam a surgir, luzes reduzidas ao máximo e a banda entra em palco. Everyday I Love You Less and Less surgiu de repente e a energia de Ricky, o vocalista, era avassaladora. Entre saltos e a correria pelo palco, a banda fez questão de deixar bem claro que estavam ali para dar tudo que tinham e o público rendeu-se a essa alegria contagiante. Never Miss a Beat marcou presença antes de um cumprimento à cidade. “Como é que se pronúncia Coimbra?”, gritou o vocalista para provocar a audiência.

Também houve lugar para novos singles. Little Shocks, é um dos singles já avançados para o novo álbum e que lembra algo do oriente misturado com o típico rock dos Kaiser Chiefs. Everything is Average Nowadays, Modern Way e Good Day Bad Day, pelo contrário, já são bem conhecidas dos fãs e deliciaram toda a plateia. Aparentemente cansado mas ainda a querer dar mais, continuou Ricky, quando anunciou cantar uma das preferidas da maioria: Ruby Ruby Ruby Ruby.

A uma só voz cantaram The Angry Mob enquanto a multidão criava quase que um mosh de tanto saltar em modo sincronizado. Na Na Na Na Na e I Predict A Riot contou com o pedido de colaboração aos presentes.
Com uma pequena ausência do palco, a banda voltou para mais duas músicas: Love Is Not a Competition (But I’m Winning) e o single que os lançou para a ribalta, Oh My God, foi cantado em tom de despedida, com o anúncio de que poderá haver um próximo concerto em Portugal.

Texto: Vanessa Sofia
Fotografia: Inês Antunes