As noites da Festa das Latas e Imposição de Insígnias começaram quinta-feira, em Coimbra. Eram já 00h30 quando as portas do recinto do Parque da Canção abriram .

Com cerca de uma hora de atraso, a Tuna Académica da Universidade de Coimbra (TAUC) abriu o espectáculo com um momento de jazz.

Seguiram-se vários grupos da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra. A Orquestra Típica e Rancho animou com as já habituais danças e cantares tradicionais portugueses. O grupo Canção da Noite tocou e encantou os amantes do fado de Coimbra ao tocar canções como Feiticeira, do filme Capas Negras ou Traz um amigo também, de Zeca Afonso. O Grupo de Cordas proporcionou um espectáculo convidativo à dança, animando a plateia com temas como a polska. A Orxestra Pictagórica levou a palco a sua já habitual irreverência de vestuário, instrumentos e na própria música, marcada pela crítica social.

A abrir a sequência de tunas que se seguiria, esteve a Estudantina Universitária de Coimbra, que escolheu para o seu repertório músicas que retratam a cidade como Coimbra do Choupal e Traçadinho.  A Desconcertuna, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, dedicou o seu Hino de Estudante aos caloiros presentes e  aos finalistas, Saudades de Coimbra, de Zeca Afonso, que encerrou o seu espectáculo. A Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra, fez as delícias das raparigas presentes com as suas baladas, já bem conhecidas pelas suas fãs que cantaram com eles os vários temas.

As pessoas presentes no palco principal iam-se dirigindo para a tenda electrónica. Contudo, ainda houve público para as tunas que ainda faltavam. A Fan-Farra Académica, um pouco apagada antecipou a actuação das Mondeguinas, que apresentaram apenas originais como Imigração e Balada. A Quantunna iniciou o seu espectáculo com a sua música dedicada à Festa das Latas e seguiu com animação e espírito académico, acabando com Vinho , também seu original.

O Coral Quecofónico do Cifrão encerrou o Sarau Académico. Apesar da noite já ir avançada, da audiência reduzida e do frio que se fazia sentir, a Tuna da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra actuou com ânimo e boa disposição.

Foto de: Diana Teixeira