Entre os dias 20 e 30 de Outubro irá decorrer mais uma edição do Doclisboa, cuja programação foi apresentada na passada quinta-feira, em conferência de imprensa. Nesta conferência, Anna Glogowski, directora do festival partilhou a  “preocupação de centrar o número de salas e diminuir o número de filmes”, o que resulta na distribuição de 172 filmes por cinco espaços distintos: Culturgest, cinemas São Jorge e Londres, Teatro do Bairro e Cinemateca Portuguesa.

A sessão de abertura conta com a exibição de Crazy Horse, de Frederick Wiseman e para encerrar o festival teremos Photographic Memory, de Ross McElwee. Ambos os realizadores estarão presentes nas sessões.

Para além das habituais secções de competição, há um destaque para a secção Riscos, assim como para a secção Heart Beat, onde será possível assistir à antestreia nacional de George Harrison: Living in the Material World, de Martin Scorsese. As Retrospectivas deste Doclisboa 2011 serão três: Movimentos de libertação em Moçambique, Angola e Guiné-Bissau (1961-1974), Jean Rouch e Harun Farocki. A primeira traz-nos um programa politicamente interessante, volvidos 50 anos sobre a luta armada levada a cabo pelos povos colonizados por Portugal, enquanto que a segunda é uma colaboração com a Cinemateca e pretende homenagear Jean Rouch, o etnólogo e cineasta falecido em 2004. Também a obra de Harun Farocki é posta em retrospectiva, juntamente com uma exposição sua de instalações vídeo, que estará no Palácio Galveias e ainda uma masterclass dada pelo realizador, no dia 25 de Outubro, com entrada livre.

As actividades paralelas são também uma parte importante do festival, desde as actividades pedagógicas Docs 4 Kids e a recepção de grupos escolares, até aos debates e workshops, incluindo um Workshop de Realização com Sérgio Trefaut, disponível em vários dias.

Os bilhetes já se encontram à venda, na bilheteira central da Culturgest, e a programação pode ser consultada aqui.