Num retrocesso aos tempos terroríficos e sanguinários que marcaram o período antecedente ao acordo da Magna Carta, um grupo de cavaleiros embarca numa luta sem limites em nome da conquista da liberdade e da justiça. O Último Reduto conta-nos uma história intensa, carregada de emoção e coragem… se conseguirmos ignorar o excesso de violência gratuita e exibicionista e a incongruência da narrativa.

No ano de 1215, os barões rebeldes de Inglaterra unem-se finalmente para obrigar o desprezível e cruel Rei D. João (Paul Giamatti) a confirmar o seu acordo à Magna Carta, um documento que marcaria, pela primeira vez na história, a igualdade de direitos entre os homens e redução do poder da monarquia. Todavia, poucos meses depois de confirmar o seu apoio, o rei recua na sua palavra e reúne um grupo de mercenários a fim de eliminar todos aqueles que se lhe oponham.

 

Envoltos em coragem e determinação, um grupo de improváveis heróis acaba por se unir para lutar contra o fim do domínio do rei e honrar as frases que compunham a Magna Carta. Thomas Marshal (James Purefoy), um Cavaleiro Templário perturbado em busca de rendição, entre outros antigos guerreiros ou meros amadores no mundo da guerra, acabam encarcerados no castelo de Rochester. Apesar dos fracos recursos humanos e materiais de que dispõem, todos eles carregam no peito uma fé invicta, em nome de uma vida mais justa e iluminada que rompa para sempre com a época das trevas da ditadura e crueldade.

O Último Reduto é um daqueles tristes filmes que tinha tudo para ser excepcional mas que acaba simplesmente por não o ser. Apesar da inspiradora narrativa e do elenco magnífico, tudo acaba por se desvanecer quando o conflito do filme se aproxima. As cenas de violência sagaz perdem-se num exibicionismo desnecessário, que em nada acresce a veracidade da história. Pelo contrário, temos verdadeiros momentos de tédio à medida que assistimos a sequências intermináveis de sangue, tortura, desmembramentos e flagelos.

Quando o conflito final vai a meio, sentimos uma esperança imbatível em nós de que talvez a história ainda consiga valer a pena com um final absolutamente extraordinário ou, pelo menos, decente. Desiludimo-nos. Não com o final, pelo contrário, muito antes disso já nós nos perdemos no meio de romances que não fazem o menor sentido, com cenas completamente irracionais que transparecem o desespero de um guionista que já não sabe que volta dar à narrativa e, claro, mais uns litros de violência absolutamente irracional.

O Último Reduto poderia ser um filme excepcional, mas infelizmente nunca o saberemos.

3.5/10

Ficha Técnica

Título original: Ironclad

Realizado por:   Jonathan English

Escrito por: Jonathan English, Erick Kastel, Stephen McDool

Elenco: Brian Cox, Derek Jacobi, Jason Flemyng, Kate Mara, Paul Giamatti

Género: Acção, Aventura

Duração: 122 minutos