Estreou esta semana nas salas de cinema o mais recente filme de Christophe Honoré, Os Bem-Amados. O realizador, que tem procurado fazer uma constante homenagem à Nouvelle Vague juntando-lhe um cunho pessoal, tenta agora repetir a fórmula que tanto sucesso lhe trouxe com Em Paris e o belíssimo As Canções de Amor.

Em Os Bem-Amados são-nos apresentadas duas histórias concentradas numa, separadas por cinco décadas, que ligam a Primavera de Praga ao 11 de Setembro: a mãe, que primeiro é Ludivine Sagnier e depois é Catherine Deneuve junta-se a Chiara Mastroianni, a filha. O resto da história desenvolve-se , sobretudo, em torno dos homens que elas amam.

A mãe vive uma contínua história de amor com o ex-marido, interpretado pelo realizador Milos Forman, num registo que surpreende pela positiva e é rematado forçosamente, enquanto que a filha vive uma paixão obsessiva por um gay (que talvez não o seja), interpretado por Paul Schneider. Louis Garrel, incontornável nos filmes de Honoré, surge aqui como um apaixonado por Vera (Chiara) e afinal não é mais do que isso no meio de toda a história, desempenhando um papel-acessório, mais do que nunca. E é esta a acção, entrelaçando-se com peripécias que decorrem a um ritmo vertiginoso, sob o qual todo o filme se desenrola também. Como consequência disso, o dramatismo que tão necessário seria perde-se no meio das peripécias e de tanto artifício.

No que diz respeito às canções, já que o filme é também um musical, estas são da autoria de Alex Beaupin e felizmente temos o privilégio de ouvir a voz de  Catherine Deneuve , com letras que têm o seu quê de interesse mas com melodias que parecem uma repetição das utilizadas em As Canções de Amor não sendo, por isso, inesquecíveis – como o filme no geral não o é também.

Christophe Honoré deve agora chegar à conclusão de que a sua fórmula mágica se encontra numa fase de esgotamento. Após dois filmes anteriores longe do seu melhor, em especial o último (Homme au Bain), esperava-se algo mais.

Os Bem-Amados traz consigo a responsabilidade de estar à altura dos já referidos Em Paris e As Canções de Amor, não sendo bem sucedido nesse aspecto. Fica-se pela intenção, pela tentativa e pelos planos iniciais.

Nota: 7/10

Ficha Técnica

Título original: Les Bien-aimés

Realizado por: Christophe Honoré

Escrito por: Christophe Honoré

Elenco: Catherine Deneuve, Milos Forman,  Chiara Mastroianni, Louis Garrel, Paul Schneider, Ludivine Sagnier

Género: Drama, Musical

Duração: 136 minutos