Está a decorrer no Teatro S. Luiz, até domingo (2 de Outubro) uma comemoração tripartida do Dia Mundial da Música – Lx Ensemble em que serão exploradas diferentes formas de se ser orquestra.

São vários as orquestras a passar pelos palcos do S. Luiz, tendo inaugurado a Sala Principal, na noite passada, os L.U.M.E. – Lisbon Underground Music Ensemble e, no Jardim de Inverno, os Corações de Atum. Nesta noite de sábado será a vez de actuarem os laureados do prémio Jovens Músicos das edições de 2009 e 2010, na classe de Guitarra (Francisco Franco) e de canto (Susana Milena), respectivamente, bem como a OrchestrUtopica. No Domingo, é a Orquestra Todos quem toma o seu lugar no palco, com dois concertos durante a tarde.

Para o director artístico do Teatro S. Luiz, José Luís Ferreira, perante a comemoração do Dia Mundial da Música neste dia 1 de Outubro, afirma que “pareceu importante reunir num mesmo programa, e mostrar às pessoas de uma maneira integrada, as formas bastante diferentes de se ser hoje orquestra em Lisboa. Se os L.U.M.E. partem como forma habitual de big band com referência ao jazz, para depois partirem, de facto, no caminho dessas músicas mais livres, quase ambientais, mas num ambiente muito festivo, por seu turno a OrchestrUtopica é uma orquestra que toca música contemporânea e que preparou para nós um programa riquíssimo, chamado Videovigilância com um espectáculo multimédia. Já a Orquestra Todos, que se estreou há pouco tempo, é uma orquestra de World Music, com a singularidade de ser composta por músicos de muitas nacionalidades, mas que actualmente são todos lisboetas”.

Neste Dia Mundial da Música prolongando por 3 dias, a cidade de Lisboa será palco nas diferentes praças de actuações de pequenas orquestras e o palco do S. Luiz, como diz José Luís Ferreira, assume-se, neste contexto, como “uma outra praça, mais íntima, mas ainda assim [com] um lugar sob as estrelas”.