Foi lançada esta terça-feira, perante uma larga plateia de jornalistas, convidados e colaboradores, a nova aposta televisiva do Grupo RTP, a RTP Informação.

A partir do dia 19 de Setembro, segunda-feira, serão produzidos nos canais RTP “47 programas de informação“, explicou Nuno Santos, director de informação. O grafismo similar, que se verificará entre as várias antenas da emissora pública, consolidará ‘o traço de união’ entre os canais estatais. Para além disso, o canal de notícias permitirá alimentar as emissões informativas das antenas internacionais, nomeadamente RTP Internacional e RTP África.

O CANAL

A RTP Informação resultará do trabalho conjunto das redações de Lisboa e Porto e ainda dos centros regionais, com a programação a ser dividida por 10 horas de produção externa, 55 horas de produção no Porto e 47 horas de produção em Lisboa.

Tem como objectivo, assumido por Luís Castro, director da nova estação, ser “um canal de proximidade”, algo reforçado pela existência de “correspondentes nacionais e internacionais”. Para além disso, a introdução de uma forte componente de notoriedade, para chegar aos decisores de todas as áreas e “gerar opinião”, é um dos propósitos finais do canal informativo.

A programação encontra-se dividida em três vectores essenciais: proximidade nas manhãs, actualidade nas tardes e notoriedade no período nocturno, querendo liderar as audiências no Cabo até 2012. A estratégia passa por estar “mais disponível” para o telespectador, com disposição para o “servir” e “fazer mais e melhor de forma diferente”.

A identidade visual do canal é baseada no globo terrestre, conceito trabalho pela Fuel para a RTP e alicerçada no grafismo global dos canais da antena pública.

A PROGRAMAÇÃO

Nas novidades desta estação, que são às dezenas, há destaques importantes. O Grande Jornal, telejornal de grande destaque na programação – emitido diariamente a partir das 21 horas –, será um dos centros da grelha da estação, contando com a participação de Nilton em 5 minutos de comentário à actualidade diária.

Mas outras novidades haverá, como o Jornal do Meio-Dia, apresentado por Alberta Marques Fernandes e contando com João Martins e Cristiano Miguel no desporto. A Linha RTP substitui a Antena Aberta e terá Daniel Catalão a dar destaque às redes sociais, como “o Facebook, o Twitter e a blogosfera” a servirem de fonte de opinião. O telefone continua disponível, mas em menor escala.

O regresso do Remate, emitido em directo das redacções de Lisboa e Porto, vai resumir as notícias desportivas diariamente às 23h30.

O 24 Horas, uma das marcas antigas da informação da RTP, assumirá um papel primordial como jornal para as comunidades portuguesas na América do Norte – é o jornal de prime-time nestes países – e será transmitido por RTP Internacional e RTP África.

A cada dia útil a partir das 22h30, haverá espaços de debate. Justiça Cega? às segundas-feiras, Trio D’Ataque às terças, Mais Valias às quartas, Ordem do Dia às quintas e 4.º Poder às sextas.

A Liga dos Últimos, um dos espaços mais bem sucedidos da RTPN, continuará neste novo canal, com uma renovação e remodelação, para evitar “que o programa se esgote”.

OS PROTAGONISTAS

Alberta Marques Fernandes, uma das caras mais visíveis desta RTP Informação, assume o gosto por “estar nos lançamentos”, em referência à sua presença nos lançamentos da SIC, da extinta 2:, do Bom Dia Portugal e agora da RTP Informação. Admite o nervosismo anterior à estreia, mas considera-o positivo: “É bom  ter uma certa dose de ansiedade, de expectativa e friozinho na barriga, porque significa que temos desafios e coisas diferentes para fazer. Há alturas que não se passa nada na nossa vida, e de repente acontece qualquer coisa, o que é bom”.

Sobre uma aposta que virá a ser apresentada por si, uma rubrica de cinco minutos, relacionada com números e economia, Alberta mantém o secretismo, “ainda não é para falar”. Garantida está ainda a sua presença diária no Jornal do Meio-Dia e, às segundas-feiras, no debate Justiça Cega? com Marinho Pinto, Rui Rangel e Moita Flores.

A presença surpresa nesta grelha de programação, juntamente com Nilton, é Herman José. O humorista veterano defende que, em Portugal, “sempre houve espaço para brincar com coisas sérias”, explicando ao Espalha-Factos que “em vários canais há espaços abertos à ironia e maneiras diferentes de ver [a informação]”.

O programa Moeda de Troika, que fará com Rita Ferro e outra personalidade ainda desconhecida, pretende “devolver à troika em ironia e ideias, o sofrimento e aperto a que nos sujeita”, num “espaço de liberdade e ironia” que pretende “fazer as pessoas felizes”.

Artigo por: Jacinta Oliveira e Pedro Miguel Coelho

Créditos fotográficos: Propagandista Social