Foram várias as sessões que esgotaram no terceiro dia de MOTELx, o que só vem confirmar o sucesso e afirmação que o festival está a alcançar. Cannibal, The Violent Kind, Cold Fish, The Woman, Little Deaths, Outcast, Phase 7, Hostel: Part II e The Forbidden Door foram as sessões desta sexta-feira.

Curta: Spiral    4/10

Da França chegou a curta Spiral, que antecedeu o  filme Phase 7. Uma mistura de terror com fantasia, que não convenceu, e cuja protagonista me fez, por vezes, lembrar uma espécie de Alice no País das Maravilhas mais dark, perdida pelos campos.

Phase 7 – Epidemia = Guerra     6/10

De Nicholás Goldbart, chegou ao MOTELx, directamente da Argentina, Phase 7, um thriller de terror, onde o humor não falta. A história deste filme não traz algo de realmente novo, contudo não deixa de ter momentos interessantes.

Phase 7 debruça-se sobre uma nova epidemia (muito ao estilo da recente Gripe A), que obriga os moradores de um prédio a permanecerem de quarentena, após a contaminação de dois dos inquilinos. Entretanto, os bens começam a ser escassos e o medo e a luta pela sobrevivência vão fazer despertar instintos menos comuns nos habitantes do prédio.

O filme argentino, que esgotou a sala 3 do cinema São Jorge, revela-se bastante claustrofóbico e inquietante, mas o humor, que tem uma presença vincada, parece servir de “escape” à tensão vivida até ao final.

Cold Fish – Peixe ou Carne?      7.5/10

Sion Sono, que, nesta edição do MOTELx, conta com uma retrospectiva do seu trabalho, distingue-se pelos seus filmes que têm tanto de louco (no melhor sentido possível), como de brilhante. Cold Fish é mais um desses exemplos.

Baseado em factos reais, este filme japonês conta a história de Shamoto e da sua família, que conhece Murata, quando a sua filha é apanhada a roubar numa loja, um homem mais velho, que se oferece para os ajudar dando emprego à jovem. Tanto Shamoto como Murata gerem lojas de peixes tropicais e tornam-se amigos. Todavia, Murata não é quem aparenta ser e Shamoto e a família vêem-se envolvidos numa teia de sangue e crime.

Cold Fish, que praticamente encheu a maior sala do São Jorge, é um filme violento e perturbador, com um argumento fantástico e um culminar abismal. O espectador nunca saberá o que vem a seguir até ao último instante. A banda sonora é outro dos pontos a destacar no filme de Sion Sono.

Depois de um terceiro dia cheio de sessões esgotadas, para sábado, para além dos muitos filmes (entre os quais O Barão, que já se encontra também esgotado há algum tempo), o MOTELx preparou outras atracções para os seus hóspedes, como a maratona da série Walking Dead e uma noite de Jogos de Terror, que se prolongam pela madrugada.

Inês Moreira Santos