As promoções já começaram. A nova novela do canal de Carnaxide, escrita por Patrícia Müller, sucessora de Laços de Sangue, chega já em Setembro e dá pelo nome Rosa Fogo.

Uma história de mulheres, muito feminina e forte sentimentalmente” é a aposta da SIC para a nova trama da ficção nacional. Uma novela de sentimentos e sensações que vai buscar à sensualidade do tango o ponto de partida para toda a sua narrativa, sendo que o enredo gira ainda em torno de um poderoso e muito cobiçado império farmacêutico.

Em busca do ambiente de envolvência do tango, Buenos Aires, na Argentina, foi o lugar escolhido para as filmagens das cenas de arranque de Rosa Fogo.

Com um elenco que atravessa várias gerações de actores, contando com jovens relações e actores consagrados, a novela abordará temas actuais, polémicos e muito portugueses, tais como a árdua vida no campo, a violência doméstica e o cancro vivido na gravidez.

Irene Cruz, Cláudia Vieira, José Fidalgo, Rogério Samora, Ângelo Rodrigues, Lídia Franco, Sandra Barata Belo, Rosa do Canto, Andreia Dinis, Anabela Teixeira, Joaquim Horta, André Nunes, Manuel Cavaco, Maria Emília Correia, Helena Laureano, Ana Padrão, Dânia Neto e Oceana Basílio são alguns dos nomes que fazem parte do elenco da nova novela da SIC.

Como já é hábito neste formato de ficção, um triângulo amoroso serve de ponto de orientação para toda a história. Desta feita, cabe a Cláudia Vieira (que regressa à representação após ter apresentado Ídolos), José Fidalgo e Ângelo Rodrigues (que pode ser visto em Laços de Sangue) a tarefa de interpretar os protagonistas de Rosa Fogo. Conheça as personagens principais e as suas histórias mais aprofundadamente abaixo.

Uma divertida disputa amorosa entre os irmãos Alberto (Joaquim Horta) e Samuel (André Nunes) é outro dos destaques da trama. Os dois trabalham com a mãe, Alzira (Maria Emília Correia) numa pastelaria, de seu nome Império, e vão viver várias peripécias para conquistar a prima Glória (Dânia Neto), que vem para Lisboa estudar e acaba por despertar a sua atenção e fazer a pastelaria virar um reboliço.

Alzira tem uma relação amorosa peculiar com a personagem de Manuel Cavaco, Júlio Fragoso, um reformado que se dedica ao restauro de bicicletas e à ‘complicada’ tarefa de controlar a vida dos vizinhos.

Na pastelaria Império, trabalha ainda Sílvia Fragoso (Oceana Basílio), uma funcionária dedicada, mas frustrada por não conseguir emprego na sua área de formação.

Outro dos decors da novela é a barbearia O Barbeiro de Sevilha. O estabelecimento já teve os seus anos de ouro, mas actualmente a situação é um tanto ou quanto complicada. Ambrósio Conde (António Fonseca), proprietário e barbeiro, não se conforma com a situação e decide pôr as tesouras de lado e voltar para a sua terra natal, gozando a reforma e o tempo livre.

Ambrósio vai pôr fim às suas preocupações ao entregar às duas filhas a barbearia. Carmen (Inês Castel-Branco) e Alda (Susana Mendes), que insistiam em não ter emprego fixo, têm de se fazer à vida e trabalhar no ofício do pai.

Da melhor forma possível, as irmãs conseguem segurar as rédeas do negócio. Além disso, Carmen continua na sua demanda pelo homem casado ideal, depois de ter tido um desgosto amoroso, enquanto Alda prefere achar que os homens românticos só existem nos livros que devora sem parar.

É neste ponto da trama que surge Vitor (Rui Porto Nunes). Este jovem que anda à procura do primeiro trabalho vai apaixonar-se por Carmen, mas será Alda quem se enamorará por este rapaz.

Estas são apenas algumas das linhas orientadoras daquele que se espera o ‘novo trunfo’ de Carnaxide para o horário nobre da estação, após ter arrecadado grandes resultados com Laços de Sangue.

Para o genérico, e de acordo com aquilo que tem sido promovido nos últimos dias, foi escolhido um tema português que se tem destacado nos últimos tempos. A Máquina dos Amor Electro abrirá todos os episódios desta nova trama da SIC já a partir de Setembro, apesar de ainda não ter sido apresentada uma data exacta pela estação.

AS PERSONAGENS PRINCIPAIS

httpv://www.youtube.com/watch?v=PxGdZ7NOZxw&NR=1

MARIA AZEVEDO MAYER (Cláudia Vieira) – A protagonista feminina desta trama é uma bailarina que perdeu os pais e foi criada pela sua avó Gilda (Irene Cruz). Cláudia Vieira descreve a sua personagem como uma “bailarina profissional. Ela tem uma academia, faz espectáculos, é professora, a natureza dela é toda para a dança. É uma mulher muito assertiva, dura mas também descontraída e com uma força muito grande“.

A jovem estudou dança clássica no conservatório e mal terminou os estudos tomou logo conta da companhia BiaMay que foi criada pela sua mãe. Nesta academia, treina, pratica com os seus pares e dá aulas crianças e graúdos.

Maria desenvolve uma relação fortíssima com a avó que a educa aquando da morte dos pais, estando a avó Gilda presente em todos os momentos da sua vida e apoiando-a inclusive.

httpv://www.youtube.com/watch?v=18u4MozXrWg&feature=related

DIOGO MARTINS (José Fidalgo) – Diogo é o apaixonado de Maria Mayer e vive com esta uma relação perfeita. Contudo, a sua relação vai ser abalada quando Estêvão entra em cena e tenta conquistar a personagem de Cláudia Vieira. Aparentemente honesto, Diogo vai revelar-se um dos vilões, controlado por José da Maia (Rogério Samora), que vai fazer o contraponto ao clã de mulheres fortes.

httpv://www.youtube.com/watch?v=1GOqpkMjwsI

ESTÊVÃO AMORIM (Ângelo Rodrigues) – É o ‘pé de tijolo’ que vai aprender a dançar com Maria, para se aproximar dela. Na pele de um gestor que cuida da mãe, Teresa Amorim (Lídia Franco), uma professora com Alzheimer, Ângelo destaca “a profundidade da personagem, que explora três mundos, o da paixão assolapada pela Maria, o lado sensível e privado de cuidar da mãe e o gestor, mais incisivo e audaz“.

httpv://www.youtube.com/watch?v=3AAzYf50rLY&feature=related

JOSÉ DA MAIA (Rogério Samora)- “Este homem tem um lado misterioso e eu próprio tenho medo dele“, diz Samora. “Não é um vilão típico, porque esses já não existem, é um lobo com pele de cordeiro, uma pessoa que ataca o próximo no mundo dos sentimentos, que é o que temos de mais frágil. Ele não faz maldades, destrói mesmo“. José da Maia faz negócios escuros no ramo imobiliário e mete tráfico de droga pelo meio, acabando por perder tudo e ficar com algumas dívidas  na Argentina.