Recentemente, a Inspecção-Geral de Finanças lançou, em Lisboa, um inquérito ao público da Cinemateca.

Um inquérito de vinte e cinco perguntas procurava avaliar o grau de satisfação dos visitantes, em relação a serviços prestados como: a programação, o preço dos bilhetes, o profissionalismo dos funcionários e o material de divulgação.

No âmbito do Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho da Administração Pública (SIADAP) aguarda-se que este inquérito seja aplicado, com as respectivas modificações, a outros organismos da Cultura.

A própria directora da Cinemateca, Maria João Seixas, explicou ao Público que inseriu algumas questões que achava adequadas e importantes, no questionário e que este foi colocado nas salas para o preenchimento pelo público.

Contudo, não é a primeira vez que um organismo da Cultura é avaliado no âmbito do SIADAP. No passado ano, de 19 de Maio a 21 de Junho, também 11 dos 28 museus tutelados pelo Instituto de Museus e da Conservação (IMC) viram esta iniciativa ser posta em prática.

Ainda assim, passado mais de um ano, não são conhecidos os resultados destes inquéritos, pelo que, neste caso em concreto,  espera-se que sejam dados a conhecer  “dentro de um mês, mês e meio”.

Este inquérito é ainda considerado uma mais valia, enquanto trabalho de teste, uma vez que  poderá ajudar a traçar um quadro de potenciais melhorias dos serviços.

O IMC, a par com esta iniciativa das Finanças, disponibiliza aos visitantes dos cinco palácios nacionais que gere, até ao final deste mês, outro inquérito que visa avaliar o grau de satisfações em relação aos mesmos, e cujos resultados preliminares deverão ser divulgados em Dezembro, disse ao Público Rui Ferreira da Silva, chefe da Divisão de Documentação e Divulgação.