O vencedor de Último a Sair, aparentemente, não seguiu as palavras de Miguel Guilherme no final da última emissão do programa: “Passe na TVI e diga que vai da nossa parte. Pode ser que a coisa se dê.” O prémio era um programa em horário nobre na TVI, mas parece que foi uma estação brasileira que arrecadou Roberto Leal.

O cantor recebeu um convite da Central Nacional de Televisão para ter um programa seu, no formato talk show, aos Domingos, no Brasil. Apesar dos inúmeros concertos por Portugal e no Brasil, Roberto já aceitou a proposta e só não sabe quando começará. “Já disse que sim, mas que não poderia dizer quando ia começar porque tenho uma série de compromissos muito grandes no Brasil. Estou a comemorar 40 anos de carreira e queria reunir-me com Portugal inteiro, para podermos encontrar soluções para os problemas que nos apoquentam neste momento”.

Este pode ter sido um dos resultados da passagem de Roberto Leal pelo Último a Sair, na RTP. No entanto, há outras consequências que o cantor diz sentir no contacto com o público. “Encontrei muitos jovens que se dirigiram a mim numa espécie de perdão. Eles viram um Roberto que não conheciam.”

Como afirma, este foi o programa que permitiu dar a conhecer a sua pessoa, desfazer mitos e tocar assuntos sérios num registo humorístico. “Foi uma experiência fantástica. Nunca pensei que, num programa onde se faz sátira, tivesse a oportunidade de falar de coisas profundas e sérias.”