Captura de ecrã - 2011-07-28, 01

Do Coração de Portugal (1/2)

Oliveira do Hospital vestiu-se de gala para receber todos os que, de 16 a 24 de Julho visitaram a sua Feira Regional. Do coração de Portugal e com a alma de quem recebe bem, o Parque do Mandanelho abriu portas a todo o país, com exposições, gastronomia e espectáculos.

As expectativas da organização, situadas nos 30 mil bilhetes vendidos, foram superadas em 4 mil. O primeiro dia (16), de Emanuel, chegou à impressionante marca das 7500 presenças. O tempo não ajudou os dias seguintes – só viria a aquecer nos últimos três dias de feira – mas o local Soltem Talentos, concurso para jovens artistas, no dia 19, chegou bem perto dos 5000 espectadores, marca semelhante à do Grupo AF, também originário do concelho.

O preço dos ingressos foi convidativo, com dois dias gratuitos (18 e 19) e com o custo simbólico de 2,50 euros nos restantes a provocarem o sucesso do evento, ainda longe da congénere Expofacic, de Cantanhede, mas deixando bons augúrios para o crescimento, principalmente tendo em conta a injusta comparação de orçamentos: 1 milhão e 300 mil euros de um lado, 50 mil euros do outro.

O objectivo é chegar a esse nível de lucro, mas a paragem de dez anos depois do fim da FICACOL, em 2000, acabou por atrasar tudo, o que não desanima o presidente da autarquia, José Carlos Alexandrino, que assume o evento como um forte impulsionador da “marca Oliveira do Hospital”. E a nós parece-nos que esta marca está bem presente.

A zona do artesanato foi a prova disso mesmo, apresentando artigos em diversos materiais, como o granito, a madeira, o cobre e o ferro, bem como artigos de bijuteria, tapeçaria e decoração. Tudo isto produção local, numa prova de resistência e criatividade perante as adversidades, no interior do país duplicadas. Seguem-se ainda a zona de máquinas e viaturas, ladeadas por muito comércio e serviços locais e ainda instituições de solidariedade social.

Não nos esquecemos da apetitosa zona de tasquinhas, onde os sabores e cultura tradicionais se cruzaram. Que o digamos nós, amantes dos bons prazeres alimentícios. A gastronomia local e os gostos universais misturaram-se, ajudados por bom vinho, sangria, ou até mesmo Água Serra da Estrela. No ‘átrio’ deste espaço gastronómico esteve o Palco 2, reservado para o folclore e as colectividades concelhias. A banda sonora ideal para encorajar o apetite no início de noite.

Abrindo dali caminho por entre a zona de comércio, indústria e serviços, destacando-se serralharias, papelarias, pastelarias, venda de doces, veículos e produtos de beleza, entre muitos outros, os visitantes chegavam finalmente à zona de espectáculos, a mais concorrida nas noites da ExpOH. Sentados ou em pé, os presentes juntavam-se diariamente a partir das 22h30 para assistirem aos concertos/espectáculos que animaram o Mandanelho.

por Pedro Miguel Coelho e Raquel Silva

fotografia: Correio da Beira Serra

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Ana Leal
Ana Leal acusa direção de informação da TVI de censura