As mortes de Brian Jones, Jimi Hendrix, Janis Joplin e Jim Morrison serviram de mote para a criação de um “clube” que reuniria vários músicos cuja característica em comum se prende com o facto de terem falecido precocemente aos 27 anos de idade, maioritariamente em situações consideradas misteriosas.

Conhecido como “Club 27” ou “Forever 27 Club” (em português, “Clube dos 27”), este grupo, envolto em mitos e teorias, é constituído sobretudo por músicos influentes do rock mas conta também com alguns nomes do rap ou do R&B, num total que ultrapassa as quatro dezenas de membros.

São múltiplas as causas que têm sido encontradas para as mortes destes músicos, destacando-se a morte por overdose (muitas vezes devido à mistura de drogas com álcool), acidentes, envenenamento e depressões motivadas pela falta de sucesso ou outros problemas profissionais e pessoais que conduzem a suicídios.

A discussão acerca da origem de tal fenómeno, considerado por muitos como pura coincidência, faz-se ainda entre a possibilidade de uma maldição e de um planeamento da própria morte por parte daqueles que viriam a fazer parte do grupo.

Em 1969, falece Brian Jones, guitarrista e um dos fundadores dos britânicos The Rolling Stones, banda da qual se viu obrigado a separar a 8 de Junho desse mesmo ano devido ao uso desregrado de drogas. Menos de um mês depois, a 3 de Julho, viria a ser encontrado morto na piscina de sua casa.

A década de 70 seria aquela que viria a contribuir com um número maior de membros de peso para o clube, nomeadamente Hendrix, Joplin e Morrison.

O americano Jimi Hendrix, considerado uma referência e o maior guitarrista da história do rock, viria a ser encontrado morto num quarto de hotel em Londres a 18 de Setembro de 1970. As causas do falecimento, apesar de nunca completamente esclarecidas, apontam que Hendrix terá morrido sufocado no próprio vómito após ter misturado comprimidos com bebidas alcoólicas na noite anterior.

A 4 de Outubro, menos de um mês depois da morte do famoso guitarrista, morria a “rainha do rock and roll”, Janis Joplin. Uma overdose de heroína (possivelmente combinada com efeitos do álcool) retiraria a vida à cantora e compositora americana.

Em 1971, seria a vez de Jim Morrison, o famoso vocalista dos The Doors, ingressar no “Clube dos 27”. Exactamente três anos depois da morte de Brian Jones, a 3 de Julho, Morrison é encontrado morto em Paris. Apesar do relatório oficial ter apontado como falha cardíaca a causa do falecimento do cantor, outras suposições como overdose de heroína ou assassinato foram também apontadas.

O vocalista e guitarrista dos Nirvana, Kurt Cobain, seria o próximo da lista. Durante os últimos anos de vida lutou contra o vício da heroína, doenças, depressão e pressões ao nível da vida profissional e pessoal. Suicidou-se a 5 de Abril de 1994, mas só foi encontrado três dias depois, com um tiro na boca, tendo deixado uma nota de suicídio. A autópsia encontrou também vestígios de tranquilizantes e heroína no corpo do artista. De acordo com o livro “Heavier than Heaven”, a biografia do músico, a irmã de Cobain afirmou após a sua morte que, em criança, este teria dito que queria fazer parte do “Clube dos 27”.

Amy Winehouse foi a mais recente voz a integrar este grupo, tendo sido encontrada morta no seu apartamento no passado sábado, com 27 anos, levando o “Clube” a receber destaque mediático. As causas da morte ainda não foram reveladas visto a autópsia da cantora ainda não ter sido realizada, mas o seu vício relativamente às drogas e álcool, conhecidos publicamente, deverão ter estado na origem do falecimento.

Na numerologia, o número 27 é encarado como representante de uma fase de transição ou de uma passagem para um próximo estágio da vida.