Foi ontem, dia 14 de Julho, a estreia mundial do filme que marca o fim daquela que é considerada por muitos a saga da década, inspirada nas obras de J.K. Rowling. Com a chegada da batalha final e porque todos os olhos vão estar postos na segunda parte de Harry Potter e os Talismãs da Morte, o Espalha-Factos revisita todos os filmes da saga que moveu fãs por todo o mundo.

HARRY POTTER E A PEDRA FILOSOFAL

O primeiro filme, com 152 minutos, chega-nos em 2001 pelas mãos do realizador Chris Columbus e apresenta-nos Harry Potter, que pensa ser um rapaz vulgar. No entanto, tudo muda no seu décimo primeiro aniversário: Harry descobre que é na verdade um feiticeiro, a quem todos admiram no mundo da magia pois em bebé resistiu e derrotou a magia negra do feiticeiro que assassinou os seus pais, o mais temido de todos os tempos, Lord Voldemort.

Em Hogwarts, Harry conhece Ron Weasley e Hermonie Granger, amigos que o acompanharão até ao fim da saga. O trio visita acidentalmente um local proibido da escola de magia, acabando por descobrir que é lá que se encontra protegida a Pedra Filosofal, um objecto que concede vida imortal ao proprietário. Harry, Ron e Hermione tentam impedir que a Pedra Filosofal caia nas mãos erradas, as mãos de Voldemort. A partir daqui todas as aventuras do filme se desenrolam.

O primeiro filme da saga teve uma recepção estrondosa, especialmente na Grã-Bretanha, país de origem da escritora e de grande parte dos protagonistas: depois do sucesso do livro de J.K. Rowling, Harry Potter e a Pedra Filosofal tornou-se, na época, a segunda maior bilheteria mundial da história, apenas atrás de Titanic. É actualmente a nona maior bilheteira de sempre e a maior do conjunto dos sete filmes da saga lançados até à data. Começava assim a criação de uma grande legião de fãs e aguçava-se a curiosidade para os filmes que se seguiriam. O IMDb classifica o filme com 7.2/10.

A película foi indicada para três prémios da Academia, nomeadamente nas categorias de Melhor Direcção Artística, Melhor Guarda e Melhor Banda Sonora, acabando por não vencer em nenhuma. O filme foi ainda nomeado em sete categorias dos prémios BAFTA.

httpv://www.youtube.com/watch?v=HdwdVDbgtkY

HARRY POTTER E A CÂMARA DOS SEGREDOS

Harry Potter está ansioso para começar o segundo ano em Hogwarts. No entanto, Dobby, um elfo doméstico, está disposto a impedir o regresso de Harry à escola de magia, onde acredita que este correrá grande perigo no correr do ano. Potter ignora os avisos de Dobby e acaba por voltar à escola, apercebendo-se que os conselhos do elfo não foram dados em vão, deparando-se com estranhos acontecimentos.

As ocorrências que aterrorizam a escola surgem associadas à Câmara dos Segredos, que, segundo a lenda, foi construída por Salazar Slytherin, um dos quatro fundadores das casas de Hogwarts. Na câmara estaria um monstro, aguardando o herdeiro de Slytherin, pronto a aniquilar todos aqueles que o feiticeiro não considerava dignos de aprender magia. Aqui surge o novo desafio de Harry: derrotar o monstro e descobrir quem é o verdadeiro herdeiro de Slytherin.

A recepção crítica desta sequela, lançada em 2002 e que conta com o mesmo realizador, segue um pouco o filme precedente: com classificação de 7.1/10 no IMDb, sem prémios de grande destaque cinematográfico, contando com três nomeações nos prémios BAFTA, uma indicação nos MTV Movie Awards e uma outra nomeação nos prémios Grammy. Na imprensa criticou-se fortemente a duração excessiva do filme (161 minutos) e até mesmo a demasiada lealdade ao livro.

No entanto, apesar do fraco reconhecimento crítico, os fãs da saga pareceram não se queixar, isto porque o segundo filme da saga é um dos filmes de maior bilheteria de sempre e está actualmente em 21º lugar – constituindo, ainda assim, um dos piores resultados de todos os filmes da saga, até à data.

httpv://www.youtube.com/watch?v=mE3YrXX6w1o

HARRY POTTER E O PRISIONEIRO DE AZKABAN

A 31 de Maio de 2004 estreava, no Reino Unido, o terceiro filme da saga, que já se destacava como um dos maiores fenómenos cinematográficos da década de 2000. Em Portugal, o filme que retrata o terceiro ano em Hogwarts só chegaria a 29 de Julho desse mesmo ano.

O assassino Sirius Black fugiu da prisão de Azkaban e tudo indica que ele está atrás de Harry. Para proteger Hogwarts são enviados os Devoradores da Morte, estranhos seres que sugam a energia vital de quem se aproxima deles. A partir daqui toda a história do filme se desenvolve.

Realizado por Alfonso Cuáron, o filme com 141 minutos obteve a classificação de 7.7/10 no IMDb e foi nomeado para dois Oscar (Melhores Efeitos Especiais e Melhor Banda Sonora) e em outras quatro categorias para os BAFTA (Melhor Filme Britânico, Melhor Maquilhagem, Melhores Efeitos Especiais e Melhor Desenho de Produção).

Aquele que viria a ser o último filme da saga a ser lançado em VHS, em Portugal seria o terceiro filme mais visto de 2004 (atrás de Shrek e A Paixão de Cristo). Só no nosso país o filme arrecadaria 2,2 milhões de euros num total de 532.793 espectadores.

httpv://www.youtube.com/watch?v=2x56gxP4oQ0

HARRY POTTER E O CÁLICE DE FOGO

Os fãs tiveram de esperar até 18 de Novembro de 2005 pelos 157 minutos seguintes da saga, ou seja, pelo quarto filme (os portugueses teriam de esperar mais 8 dias e ver o filme a 26 de Novembro).

Harry Potter é misteriosamente seleccionado para participar numa competição internacional em que precisará enfrentar alunos mais velhos e experientes de Hogwarts e também de outras escolas de magia. No final da competição, dá-se a aparição da marca negra de Voldemort, o que vai lançar o pânico por todos os feiticeiros que receiam um regresso do grande inimigo de Harry.

Em Portugal, o quarto filme sobre o feiticeiro com cicatriz em forma de raio teve a segunda melhor bilheteira do ano (sendo o primeiro lugar conquistado por Madagáscar), com um total de 527 176 espectadores (um número inferior ao registado pelo filme anterior em terras lusas) num total de receitas a rondar os 2,2 milhões de euros.

Realizado por Mike Newell, o filme classificado com 7,5/10 no IMDb, seria bem recebido pela crítica com uma nomeação para o Oscar de Melhor Direcção de Arte e arrecadando o BAFTA de Melhor Desenho de Produção para além de ter sido nomeado nas categorias de Melhor Maquilhagem e Melhores Efeitos Especiais. Recebe também nomeações em três categorias Melhor Herói para Daniel Radcliffe, Melhor Vilão para Ralph Fiennes e Melhor Equipa para os três progatonistas (Radcliffe, Watson e Grint).

httpv://www.youtube.com/watch?v=leii8eFSDQ8

 

 

Por: André Pereira, Andreia Martins, Inês Moreira Santos, Wilson Ledo