A 2ª vaga do bareme rádio da Marktest dá a vitória à RFM, mas também destaca o 2º lugar consolidado pela rádio do grupo Media Capital. As rádios informativas mantém-se com valores bastante aceitáveis e são as de cariz mais jovem a desiludir neste segundo trimestre de 2011.

A rádio das “grandes músicas” volta a ser a mais ouvida no país, catapultando a R/Com para a liderança de entre os principais grupos de rádio. Apesar de ter perdido 4% em relação à vaga anterior, a RFM mantém-se na frente com 14% de audiência acumulada de véspera (A.A.V.), seguida de perto pela Rádio Comercial, que não pára de aumentar desde há um ano os seus resultados, situando-se agora nos 10.7% de A.A.V. – no trimestre passado ficou-se pelos 10.5%.

No 3º lugar da contagem está a Renascença, que conseguiu, ainda assim, aumentar os seus resultados, chegando aos 8.7%. Ainda no grupo R/Com, a Mega Hits voltou a aumentar o seu número de ouvintes e possui agora 3.1% de A.A.V. com apenas uma rede regional de seis emissores. Quanto à Rádio Sim, não são conhecidos para já quaisquer valores.

Para além da subida da Comercial, o grupo Media Capital tem motivos para sorrir uma vez que a segunda rádio na hierarquia da Sampaio e Pina, a M80, também conseguiu atrair mais ouvintes para a sua emissão dos êxitos dos anos 70, 80 e 90, com 4.3% . A mesma sorte não teve, porém, a Cidade FM, que continua a cair nas audiências e quedou-se pelos 4% de audiência acumulada de véspera.

Os resultados referentes às estações Star FM, Vodafone FM e Best Rock FM não se encontram de momento disponíveis, mas assim que possível serão também divulgados.

O grupo Controlinveste também saiu bem na fotografia, uma vez que a TSF voltou a aumentar a sua audiência, agora nos 4.6%. Quanto às rádios públicas, apenas a Antena 1 se destacou, ao ser a 4ª estação mais ouvida em todo o país, com 4.8% de A.A.V. Já a Antena 3, voltou a perder ouvintes, tendência que se tem verificado há mais de um ano, estando agora com 2.7%. A Antena 2 mantém o seu auditório praticamente inalterado ao garantir 0.5% do público que ouve rádio no país.

As rádios mencionadas anteriormente garantem no seu conjunto 48.3% de todo o auditório nacional. Os restantes 51.7% estarão divididos pelas restantes estações de rádio de Portugal, de entre as quais se encontram as estações do grupo Lusocanal, assim como as não mencionadas do grupo R/Com e Media Capital, para além de todas as rádios locais.