Na Festa Literária Internacional de Paraty, o maior evento literário do Brasil, o escritor valter hugo mãe não só esgota em 15 minutos como põe os brasileiros a chorar. O público, os críticos e a imprensa estão encantados com o escritor português.

Dos 500 exemplares de A Máquina de Fazer Espanhóis que tinha levado até ao Brasil, não restou um. Foram todos comprados em 15 minutos e fizeram do português o primeiro escritor a esgotar nesta feira internacional. Não era o foco do dia na FLIP, mas acabou com as suas intervenções abertas e transparentes por conquistar o público brasileiro.

Na mesa Pontos de Fuga, em que participou, o principal destaque foi, ao início, dado a Pola Oloixarac, escritora argentina, apelidada pelos media de “a musa da FLIP”. Também na conversa estava o escritor francês Claude Lanzmann. No entanto, hugo mãe foi o mais emocional nas suas intervenções e não teve medo, segundo os jornais brasileiros, de desvendar o seu processo criativo e assim, e com algum humor à mistura, foi conquistando a audiência na sala. O culminar da intervenção do português esteve na leitura de um dos seus textos que trata o seu fascínio e relação com o Brasil. O resultado foi um público emocionado, por vezes em lágrimas.

Assim, valter hugo mãe foi chamado “o muso da FLIP” e esteve no dia seguinte nas capas dos principais jornais brasileiros. O relevo foi para a comoção do público e do escritor e a sua sensibilidade por oposição à racionalidade de Pola Oloixarac e a rispidez de Claude Lanzmann.

A Folha de S.Paulo refere: “Foi um dia de participação activa da plateia, com hugo mãe aplaudido de pé na Tenda dos Autores. O escritor emocionou-se profundamente ao final de sua leitura, chegando a arrancar lágrimas do público. Seu carisma eclipsou inclusive sua colega de mesa, a escritora argentina Pola Oloixarac, dita musa da festa literária que ficou ‘recolhida’”.

Os elogios sucedem-se noutras publicações como O Globo, que escreve: “A sensibilidade de hugo mãe e a racionalidade de Pola desmontaram as imagens que por vezes se criam em torno deles, algo que apareceu principalmente no momento bem que o português revelou que o protagonista de seu próximo livro é um homem que, assim como ele, chega aos 40 anos e descobre subitamente o desejo de ter um filho”.

O escritor que conquistou o Brasil e que passou quatro horas e meia a distribuir autógrafos a cerca de 2 mil pessoas, diz-se comovido com tudo o que lhe está a acontecer por terras de Vera Cruz e é no meio de toda a emoção que prepara os lançamentos do seus livros em São Paulo e no Rio de Janeiro.