Espalha Factos

Google +, quero conhecer-te melhor

Está iminente o lançamento de uma nova rede social pela Google, mas é já relativamente fácil criar uma conta e explorar a sua nova aposta: Google +. As comparações com o Facebook são inevitáveis. A Google terá um longo caminho a percorrer se quiser destronar o projecto de Mark Zuckerberg.

Comecemos pelo design: um estilo muito sóbrio e discreto, com fundo branco. Agradável. Pode indiciar que o Google+ terá como principais adeptos aqueles que usam as redes sociais para trabalho e contactos em rede.

As publicações, que surgem na página inicial tal como no Facebook, podem também ser classificadas com um clique: o +1 susbstitui o Gosto. É possível formatar o texto (fazer publicações a negrito, itálico, sublinhado e rasurado) e, tal como no Facebook, mencionar amigos, desta vez adicionando um ‘+’ atrás do nome.

É dado grande destaque aos círculos de amigos e à privacidade. Esta funcionalidade também existe no Facebook, mas tem passado despercebida à maior parte dos utilizadores. No Google+ podes adicionar qualquer pessoa a um círculo teu sem que seja precisa a sua permissão; no entanto, só terás acesso aos conteúdos que essa pessoa classificar como públicos. Só se essa pessoa também te adicionar a um círculo é que poderás ter acesso a informações e publicações que ela considere privadas. No fundo, pouco se altera: no Facebook existem as listas de amigos e no Google+ os círculos.

São estas repetidas semelhanças que podem ditar o fracasso de mais uma experiência da Google (depois do Buzz, de que muito poucos ouviram, sequer, falar). Mas já lá vamos.

São muitos os serviços disponibilizados pela Google, desde o Gmail até ao Google Docs ou Google Analytics, e uma das grandes falhas da empresa tem sido não conseguir articulá-los totalmente. Desta vez parece ter conseguido. Há uma barra superior onde estão disponíveis ligações para os outros serviços; falha, no entanto, por não ser dinâmica. No Internet Explorer, os links são abertos numa nova janela, o que é desagradável, até pela existência dos separadores na mesma página.

Por descobrir está se as figuras públicas, empresas, movimentos, etc. terão páginas diferentes dos perfis pessoais, como acontece no Facebook . No Google + não é possível escrever ou deixar ligações no “mural” dos nossos amigos. No Google+ não há, também, aplicações de jogos e entretenimento. Alívio para os que levam a rede social mais “a sério”, um ponto negativo para os apaixonados pela interactividade social.

O chat tem um extra: é possível comunicar através de som e imagem. Parece ser a grande bandeira desta nova rede social, mas restam muitas dúvidas sobre a adesão que terá. Na verdade, não é uma grande novidade. O Windows Live Messenger, cuja nova versão integra os contactos do Facebook, desde há muito que permite ter conversas de vídeo.

O Google+ é bom. Achá-lo-ei melhor ainda quando conhecer todas as suas funcionalidades. Mas não reúne a fórmula do sucesso. Não tem argumentos suficientes para convencer o comum utilizador de redes sociais a migrar do seu perfil actual (muito provavelmente no Facebook) para o Google+: não há uma novidade substancial, não há um rasgo de génio que desperte a urgência das pessoas em experimentar.

Caso não haja uma novidade de peso no Google+, o criador do Facebook não tem grandes motivos de preocupação. A sua hegemonia está consolidada e não será este Google+ a alterar isso.

  1. Esqueci-me de mencionar isto no meu comentário anterior. Um contacto meu no Twitter disse algo que achei engraçado.

    “O Facebook arrisca-se a ser o novo Hi5 desde que foi invadido por teens e o Google+ é o próximo passo natural da evolução das redes sociais.”.

  2. Bom artigo mas há alguns pontos que convém esclarecer.

    Não podemos esquecer que a nova plataforma social da Google ainda está em fase de testes e com limite de funcionalidade e que embora se assemelhe à primeira vista com o Facebook, o Google+ distancia-se deste por existir um maior controlo da informação lá colocada e mais funcionalidades. No entanto, Facebook e Google+ são dois projectos diferentes que poderão coexistir com dois públicos distintos.

    Completando alguns pontos:

    – “No Internet Explorer, os links são abertos numa nova janela, o que é desagradável, até pela existência dos separadores na mesma página.”
    Isso pode ser um problema do próprio Internet Explorer e não do Google+. No Google Chrome, Safari e Firefox, os links abrem num novo separador.

    – “Por descobrir está se as figuras públicas, empresas, movimentos, etc. terão páginas diferentes dos perfis pessoais, como acontece no Facebook .”
    Já foi anunciado que a Google está a desenvolver layouts para as empresas utilizarem o Google+. Ainda não lançaram porque querem tudo perfeito e a funcionar a 100%.

    – “No Google+ não há, também, aplicações de jogos e entretenimento. Alívio para os que levam a rede social mais “a sério”, um ponto negativo para os apaixonados pela interactividade social.”
    Como ainda está em fase de testes, a API só foi dada a conhecer há pouco tempo mas já se sabe que o Google+ (ou G+) irá ter jogos, apps e publicidade (controlada e pouco visível como no Gmail).

    – “O chat tem um extra: é possível comunicar através de som e imagem. Parece ser a grande bandeira desta nova rede social, mas restam muitas dúvidas sobre a adesão que terá. Na verdade, não é uma grande novidade. O Windows Live Messenger, cuja nova versão integra os contactos do Facebook, desde há muito que permite ter conversas de vídeo.”
    O uso do Windows Live Messenger resultou de uma parceria com a Microsoft (grande aliada do Facebook) e foi uma alternativa encontrada “à pressa” para colmatar a falha de video-chamadas directamente no Facebook e não parece ser a melhor solução. Tudo indica que o Facebook irá anuncia na próxima semana uma novidade relacionada com o chat, provavelmente a hipótese de fazer video-chamadas tal como o Google+ permite, mas usando a tecnologia da Skype (comprada recentemente pela Microsoft) de forma a estar mais equilibrada e competitiva face ao Google+.

    – “O Google+ é bom. Achá-lo-ei melhor ainda quando conhecer todas as suas funcionalidades. Mas não reúne a fórmula do sucesso. Não tem argumentos suficientes para convencer o comum utilizador de redes sociais a migrar do seu perfil actual (muito provavelmente no Facebook) para o Google+: não há uma novidade substancial, não há um rasgo de génio que desperte a urgência das pessoas em experimentar.”
    Talvez o facto de não ser do conhecimento da quase totalidade dos utilizadores do Facebook seja um ponto positivo, mas já há muitos utilizadores que estão a mudar para o Google+ por estarem saturados do caos que o Facebook se tornou. O que é certo é que o Google+ está a cativar a atenção dos media de uma forma que o Google Wave e o Google Buzz não conseguiram e já é um enorme sucesso na comunidade online, mesmo ainda estando fechado ao público. Prova disso são as menções que tem tido no Twitter. Até já se criou uma imagem para se colocar nas páginas pessoais do Facebook indicando que a qualquer pessoa já se está a mudar ou mudou para o Google+.

    Outros pormenores interessantes:

    – O Google+ impõe um limite de idade para inscrição (creio que só se pode inscrever quem tem mais de 18 anos), o que é muito bom pois permite streams mais interessantes e construtivos.

    – A mobile app para Android já é um sucesso e é muito melhor e mais completa que a mobile app do Facebook. Resta esperar pela app para iPhone que está apenas à espera de aprovação pela App Store.

    – Todos os dias há novidades e o Google+ está cada vez mais completo. Novas opções, pequenas mudanças no layout, etc.

    Em suma, o Facebook será sempre o Facebook e vejo muitos utilizadores a usarem as duas plataformas (sou um desses casos) no seu dia a dia. Uma coisa é certa, o Google+ veio para ficar.

  3. tuning_xx,

    Quanto aos dispositivos móveis, ainda não tive oportunidade de experimentar. Tenho um BlackBerry mas ainda não experimentei a aplicação do Google.

    Em relação a não se poder publicar no mural dos nossos amigos, partilho da tua opinião. Mas, lá está, é algo que agrada às pessoas que usam as redes sociais mais a sério e entristece os “grandes magos do social”.

    De resto, concordo que os círculos sejam mais intuitivos; mas não que sejam melhores. No facebook consigo partilhar publicações ou fotografias apenas com quem eu quero, independentemente de estarem na lista X ou Y. A partilha por e-mail pode ser uma vantagem importante mas, mais uma vez, principalmente quem vá usar o Google+ para trabalhar.

    Apesar dos feeds, tens de reconhcer que as páginas no facebook revolucionaram a comunicação entre artistas e fãs /empresas e clientes.

    O título do artigo acaba por salvaguardar a opinião: ainda não conheço muito bem o Google+.

    Muito obrigado pela tua opininão!

    1. Creio que a aplicação do google plus (Google+) para dispositivos mobile ainda só está disponível para Android (o próximo passo será iOS e talvez só mais tarde BlackBerry).
      A ideia da rede social é partilhar (quem partilha és tu! não é tu a obrigares os outros) portanto faz todo o sentido que não se publique nas páginas das outras pessoas.

      “No facebook consigo partilhar publicações ou fotografias apenas com quem eu quero” experimenta partilhar com todas as pessoas que estejam em 2 listas diferentes e cujo o número de pessoas seja superior a 2o e diz-me se é fácil e intuitivo.

      1. Listas e círculos: nesse caso, para partilhares com pessoas que estejam em diferentes círculos, de que forma é que se torna mais fácil e intuítivo? O segredo passa por ter as listas/círculos devidamente organizados.

  4. Devo dizer que ainda não tive oportunidade de testar esta nova rede social (apesar de ter convite), mas já li perto de dezena de reviews e detalhes e conversas com amigos que têm a acesso há rede social e discordo desta opinião.
    Porque a discórdia?
    Primeiro porque dizer não tem nada de novo que cative é errado, um sistema de chat que funciona (sim porque o do facebook é a vergonha que é no que toca a funcionamento) e com o acréscimo de ter som e imagem! E mais, chat em grupo!
    Segunda grande vantagem, a aplicação e integração com o sistema operativo móvel Android, em grande crescimento, evolução e adopção tanto no mercado de alta gama como média. A aplicação do facebook deixa algo a desejar no que toca a dispositivos mobile. Ainda por cima se conseguir uma integração com os nossos contactos já existentes (que creio será fácil para a Google fazer, já que eles conhecem Android melhor que ninguém) seria fantástico (adeus iMessage da Apple), porque? Simples, abrir a lista de contactos e ver se a pessoa está online para chat no Google+ seria muito simples comunicar (e poupar uns trocos em telecomunicações).
    A ideia de círculos, não muito longe das listas só que com uma vantagem é fácil e intuitiva (ao contrário das listas de facebook), a ideia é real, as pessoas no dia-a-dia organizam-se assim, criam círculos de pessoas entre elas, com interessem em comum.
    A questão de não poder postar na página das outras pessoas é mais uma vez uma boa ideia, porque? Se queres dizer-lhe algo, tens email ou chat! Se queres algo para só para ela ver podes publicar algo só partilhado com essa pessoa. (e com esta medida acaba-se o SPAM diário que se vê no facebook)
    E claro por falar em partilhar e publicar, algo que no facebook é altamente criticado por muita gente e claro com esta ideia de círculos fica resolvido, quando se quer partilhar algo com pessoas X, Y e Z ou falar de um interesse comum a apenas uma porção dos nossos amigos é muito mais fácil. (não venham a dizer que com listas é possível pois não está perto de ser verdade, quero vê-los a partilhar algo com 2/3 listas e mais 2 ou 3 contactos de email, sim email, pessoas fora da rede social). Ou partilhar as fotos da saida da noite passada com os amigos que interessam (e só com esses e não com meio mundo), podendo estar eles em que circulo estiverem!
    Ah e tal e páginas de empresas ou sites (como este)? sinceramente se quiser ver o que é postado de novo em blogs ou sites, existem leitores de RSS (até a google tem um!).

    Para concluir, não esquecer que Facebook tem 500milhões de utilizadores, Google tem 1Bilião (activos, que diariamente usam os seus serviços).
    facebook prepara-te para ser o novo myspace.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Pedro Guerra futebol peixeirada
Opinião. O princípio do fim da “peixeirada” do futebol na TV