Lady Gaga vai marcar presença na Europride, a marcha europeia pelo orgulho gay, em Roma, no próximo Sábado. Desta forma, mais uma vez, a cantora Pop empresta a sua imagem às causas homosexuais.

Ao que revela a organização, a participação da cantora prende-se com a necessidade de mudar as mentalidades concervadoras características da sociedade italiana e potenciadas pela governação de Berlusconi e pelas pressões exercidas pelo Vaticano.

Nas palavras de muitos dos envolvidos na organização do evento, Itália vive sobre a governação de um homem que acha mais digno pagar a prostitutas menores e dar festas com elas que ser homossexual. Aliás, segundo Vladimir Luxuria, transexual e ex-deputada comunista, “o parlamento italiano odeia os homossexuais. O primeiro-ministro não perde a chance de fazer piada com eles.”

Para se juntar ao primeiro-ministro italiano, a força do Vaticano na sociedade europeia preocupa Paolo Patane, director do Arcigay, movimento de luta pelos direitos dos homossexuais. A sua forte influência continua a verificar-se e a religião cristã, nao se coíbe de apelidar a homossexualidade de “desordeira” e de considerar as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo um pecado.

Lady Gaga insere a sua participação no seu apoio às lutas homosexuais, que não é de agora. Já em Novembro passado, a artista usou da sua visibilidade para pedir a revogação da lei norte-americada que impede homossexuais assumidos de se alistarem no exército. A sua influência, ja reconhecida pela revista Time e pela Forbes, ao considerá-la uma das 10 mulheres mais poderosas do mundo, vai ser usada pela organização do evento gay, e assim Lady Gaga não só desfilará junto de todos os manifestantes, como também cantará no mítico Circo Máximo.