Os três grupos media portugueses assinaram hoje um contrato de parceria para a criação de um novo canal televisivo, ainda sem nome definido, que deverá arrancar em Setembro deste ano. O canal por cabo, propriedade da Cofina, da Zon e da Ongoing, tem em vista a transmissão de um ‘reality show’ interactivo totalmente inovador, o uMan, baseado num formato israelita.

José Eduardo Moniz, vice-presidente da Ongoing Media, coordena este novo canal, que ainda se encontra apenas no papel, sem a autorização da ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social) ou um projecto apresentado. O ex-director geral da TVI, bem com Luís Santana, administrador da Cofina Media, e Luís Lopes, da Zon Multimédia, assinaram hoje, em Lisboa, a cooperação entre as três empresas, pela primeira vez juntas num projecto.

Num comunicado enviado na passada quarta-feira à CMVM (Comissão de Mercado de Valores Mobiliários), a Cofina anunciava já que a empresa “acordou com a Zon e a Ongoing os pressupostos básicos para a criação de uma parceria equitativa (33% cada parte) tendente à transmissão de um reality show interactivo, o uMAN, a ser distribuído (24h sobre 24h) nas plataformas de televisão por cabo e internet“.

O formato de entretenimento, segundo José Eduardo Moniz, “não é um reality-show. É uma forma diferente de produzirmos conteúdos”. Os direitos sobre o programa televisivo israelita, da Dori Media, foram adquiridos pelo vice-presidente da Ongoing no festival de conteúdos de televisão MIPTV, em Cannes, França, para ser também transmitido no Brasil, em Angola e em Moçambique. “Este uMan foi algo porque me apaixonei à primeira vista. Tem uma lógica de sedução, tem interesse e criatividade e tem imaginação e voluntarismo. E acima de tudo faz do espectador um interveniente activo”, afirma José Eduardo Moniz ao jornal Público.

O uMan caracteriza-se por uma forte aposta na interactividade, exigindo a participação e a criatividade dos espectadores, que comandarão todas as acções do grupo de participantes, 24 horas por dia. Produzido por Piet Hein Baker e pela sua proodutora, a CBV, o uMan deverá durar 49 dias, envolvendo concorrentes e expulsões, mas numa fórmula diferente de programas como o Big Brother (igualmente produzido por Piet Hein, na Endemol).

Trata-se de um programa multiplataforma, que não se fica pelo reality show, sendo verdadeiramente construído pelos espectadores: “Vemos hoje a TV tal como foi lançada há muitos anos atrás. A TV mudou e está hoje disponível em qualquer meio, em qualquer sítio, em qualquer hora. Este será um produto fortemente interactivo e multiplataforma”, prossegue José Eduardo Moniz em declarações ao Público. Por enquanto, o uMan é o único projecto apresentado para o canal, que inicia então as suas emissões em Setembro.