Lady Gaga foi ontem agraciada com a distinção ícone de moda, categoria dos prémios Council of Fashion Awards. Entretanto, é banida pela segunda vez do Líbano.

A distinção pelos CFDA Fashion Awards deve-se ao look permanentemente excêntrico e original que a cantora adopta. Na entrega dos prémios, Lady Gaga não só surpreendeu por se apresentar com a irmã, como também, e mais uma vez, pela roupa que escolheu: um vestido para a passadeira vermelha, que se converteu em algo bastante revelador na hora de recepção do prémio. A isto juntou-se um par de sapatos com 25 centímetros de altura.

Enquanto isto, no Líbano a situação é totalmente inversa para a artista pop: foi censurada por ter um disco considerado ofensivo. Todos os álbuns foram já recolhidos pelas autoridades e a sua venda foi proibida. O principal defeito de Born This Way é tocar em temas como o Cristianismo, num país onde “Os distribuidores estão proibidos de circular meios que divergem da decência pública e moralidade, ou que mexam com crenças nacionalistas ou religiosas”.

Esta situação não será estranha a Lady Gaga, que já viu a circulação do seu trabalho interrompida noutras ocasiões. Por exemplo, no mesmo Líbano, há dois meses, o tema Judas foi contestado por grupos católicos. Na Malásia, as estações de rádio não passam a sua música por considerarem que apela à homossexualidade.