A minha banda é melhor que a do vizinho”. É este o sentimento predominante em muitos projectos musicais no nosso país e um entrave à promoção conjunta de bandas com valor e necessidade de despontar. Mas há também exemplos que marcam o inverso: a união de esforços e a aplicação de ideias de todos num objectivo comum.

O Movimento Alternativo Rock, que completou 3 anos em Abril, é uma cooperativa de artistas que apostam na internet como o principal meio de divulgação das suas músicas, sempre em conjunto, que organizam concertos sob a sigla MAR e partilham entre si os meios técnicos, promocionais e logísticos, compensando o amadorismo com a união.

Deste movimento fazem parte bandas como Nervo, Pássaro, Matilha e Amor Lança Farpas. Não são referências no panorama musical português, mas o seu nome tem sido projectado através desta parceria. Mesmo não fazendo da música a sua profissão, têm-se multiplicado os concertos, principalmente na margem sul do Tejo: Santarém, Moita Setúbal e Mação são algumas das localidades dos membros do Movimento Alternativo Rock.

No site do movimento, em http://www.movimentoalternativorock.com, podemos conhecer detalhadamente cada banda que integra o grupo, ter acesso à agenda dos concertos, encomendar merchandising e fazer o download, de forma gratuita e legal, de músicas e vídeos de concertos, nomeadamente do 3.º Aniversário do MAR, dia 2 de Abril, no Santiago Alquimista.

Qualquer banda pode, também, associar-se a este projecto. No site é disponibilizado um endereço de e-mail para o qual devem ser enviadas as maquetes, que serão avaliadas.

Um ponto a favor é, desde logo, o espírito de união, que é a génese do movimento; o design da página oficial, cuidado, sugere  a seriedade do projecto; e, mais importante, a qualidade musical: o rock predominante, com letras em bom português, que se afastam da norma, fazem de mim um verdadeiro fã e tornam, na minha opinião, o MAR numa verdadeira solução alternativa na música portuguesa.

Este modo de promoção é um exemplo e o conceito deveria ser aproveitado por muitas mais bandas. Muitos projectos talentosos vivem na obscuridão: ficam os artistas a perder porque o seu trabalho não é conhecido por muitos, mas também os consumidores de música, uma vez que não chegam a ter acesso a grande parte do produto musical português.

A difusão gratuita de músicas na internet é, obviamente, a chave da projecção de bandas desta dimensão. Não se ganha (tanto) dinheiro com a venda dos álbuns? É recuperado nos concertos. É assim que os membros do MAR pensam: “Porque acreditamos que a música nos acompanha a todos diariamente, fazemos ponto de honra recordá-la na sua segunda melhor forma, no formato da livre troca e partilha de ficheiros. (…)  assistir ao vivo a um concerto sempre será a primeira e mais nobre forma de ouvir música.”

Fica aqui o videoclip da música Canção de Rádio, dos Nervo:

httpv://www.youtube.com/watch?v=dNvSoVaYLhk