As principais estações televisivas nacionais acordaram a realização de debates e entrevistas com todos os partidos políticos, incluindo os que não estão representados na Assembleia da República (AR).

Esta é a principal novidade que surge, em relação ao que tinha sido anteriormente noticiado. O novo acordo entre televisões surge de uma reunião entre os directores de informação da RTP, SIC e TVI e a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), em virtude das críticas que tinham sido realizadas. Alguns dos partidos não representados no Parlamento, como o MEP e o PCTP-MRPP tinham se queixado da não inclusão dos partidos não representados no ciclo de debates, considerando que apenas 5 dos 17 partidos nacionais participariam neste ciclo, não respeitando os princípios de igualdade.

Assim sendo, mantém-se o anteriormente divulgado calendário de debates entre os cinco líderes dos maiores partidos. No entanto, cada canal irá transmitir sete entrevistas a líderes de partidos não representados na AR, que concorrem a um número significativo de círculos eleitorais.  A RTP1 transmitirá ainda um debate entre os líderes destes partidos.

A RTP2 irá transmitir um ciclo de dezanove entrevistas, com os líderes de todos os partidos nacionais, quer tenham ou não assento parlamentar, indiferentemente do número de círculos eleitorais pelos quais concorrem.

Em síntese, esta será das campanhas eleitorais com mais debates e entrevistas televisivas. Para além de todas as entrevistas que já têm sido promovidas nas últimas semanas, teremos agora dez debates com os líderes dos maiores partidos, um debate e 21 entrevistas com os líderes dos maiores partidos não representados na AR, para além de 19 entrevistas na RTP2, aos líderes de todos os partidos nacionais.

O ciclo de debates inicia-se hoje com o frente-a-frente entre Paulo Portas (CDS-PP) e Jerónimo de Sousa (PCP) na RTP1, estando o aguardado frente-a-frente entre José Sócrates (PS) e Passos Coelho (PSD) agendado para dia 20 de Maio, também na estação pública.