23 de Abril de 2001: Fernando Alvim, Rui Unas e Patrícia Bull dão a cara no início das transmissões deste novo canal. Promessas de irreverência e atrevimento rodeavam a nova coqueluche do grupo SIC. Uma década mais tarde, a SIC Radical continua pioneira e atrevida, sendo este aniversário mais um motivo para reforçar a programação da estação.

Há dez anos, a chegada da SIC Radical veio colmatar uma das falhas da oferta televisiva portuguesa. Faltavam programas que se dirigissem especialmente para um público adolescente e jovem adulto, um canal que enfrentasse aquilo que era politicamente incorrecto, que desse voz aos talentos escondidos ou ainda mal aceites pela sociedade portuguesa. Um espaço onde amadores pudessem comunicar, brincar, entreter, mas também falhar, e desta forma aprender.

Foi este espírito de ousadia e irreverência que contribuiu para o crescimento do canal.  A mesma irreverência que lhe permite ser uma escola, ao apostar em futuros comunicadores. A mesma estação que criou comediantes, hoje de renome, como os Gato Fedorento ou o recente fenómeno dos Homens da Luta. Como referiu Pedro Boucherie Mendes, director dos canais temáticos da SIC, ao longo dos últimos dez anos a SIC Radical foi capaz de nos trazer um novo olhar sobre a televisão.

Para comemorar dez anos de irreverência, a estação promete uma verdadeira viagem no tempo, com o que de melhor se produziu no canal “Tudo Incluído”. Assim sendo, Sábado serão retransmitidos episódios de Alex e Salvador, Programa do Aleixo, Gato Fedorento, FM Radical, A Última Ceia e Cabaret da Coxa.

Ao revisitar do passado, segue-se o enfrentar do futuro, com as estreias das britcom Pulling e Peep Show, marcadas, respectivamente, para as 22:45 e 23:15. Enquanto que a trama de Pulling se foca na vida agitada de três solteironas, Peep Show relata as peripécias de Mark e Jez, dois homens sexualmente frustrados, que enfrentam o fracasso social.

Ainda este mês, a 29 de Abril, a SIC Radical estreia o programa O Quê, a SIC Radical já tem 10 anos?, iniciando assim uma série de seis episódios ao longo dos quais se revisitará a história do canal, de Portugal e do Mundo na última década. No mesmo dia, estreia ainda a séria australiana The Cult, ficando para o Sábado dia 30 de Abril, o início da terceira temporada de South Park.

Maio continuará a ser sinónimo de mudança. A partir de 16 de Maio, o Curto-Circuito, primeiro programa a ser transmitido pelo canal no já longínquo ano de 2001, será alvo de uma renovação. Durante este mês, estão ainda previstas as estreias de The Colbert Report (6 de Maio), e The Apprentice (16 de Maio). A SIC Radical promete ainda  marcar presença nos maiores festivais de Verão.

Novas apostas que miram o futuro desta estação. Os próximos dez anos continuarão certamente na onda da irreverência e inovação, a cativar uma audiência que procura extrair algo de diferente da televisão portuguesa. Continuará a possibilitar o aparecimento de novos talentos na área da comunicação e da comédia, e também de novos formatos. Parabéns SIC Radical!