Imagine um lugar onde a roupa daqueles que já partiram lhes dá a possibilidade de voltar à vida no corpo de quem ainda vive. Parece uma ideia um pouco descabida e até mesmo impossível, mas a verdade é que já está em prática na capital portuguesa.

Cemitério dos Prazeres é o sítio onde tal realidade se torna possível. Para encontrá-lo, terá de rumar ao Chapitô até 24 de Abril, de Quinta a Domingo, pelas 22 horas, e assistir ao novo espectáculo teatral que a Companhia do Chapitô nos apresenta.

Se o seu humor está em baixa, esta é a sugestão ideal para levantá-lo. Durante uma hora, vai poder soltar a sua mais intensa gargalhada num ambiente horripilante, estranho e macabro, em que um humor trabalhado e incorporado no texto e nas situações não consegue deixar ninguém indiferente.

Jorge Cruz e Tiago Viegas são os responsáveis por esta torrente de boa disposição que se costuma sentir para os lados do Castelo de São Jorge, através das variadas personagens que interpretam, num jogo em que o ponteiro do relógio marca o surgimento inesperado das mais diversas figuras.

Um lutador de boxe, uma bela mulher, uma carpideira, um padre, uma idosa, um traficante e até mesmo um bebé são algumas das personagens que emergem dos montes de roupa que fazem parte deste peculiar cemitério e se aproveitam do corpo dos coveiros que aí trabalham para conseguir comunicar umas com as outras.

A peça, encenada por John Mowat, é dirigida a um público com idade superior a 12 anos e tem um preço que vai dos 7,5 (para jovens, maiores de 65 ou grupos com mais de 10 elementos) aos 12€ (para público em geral).