A bailarina profissional Sarah Lane, dupla da galardoada Natalie Portman no filme Cisne Negro, afirma que a actriz só gravou cerca de 5% das cenas de bailado. 

Foram muitas as entrevistas, artigos e críticas que elogiaram o trabalho da actriz Natalie Portman em Cisne Negro. A participação da actriz neste filme, nomeadamente as cenas de bailado do mesmo, foram fulcrais para o aumento da sua notoriedade. Natalie sempre mostrou que as gravações de Cisne Negro tinham sido altamente cansativas, facto para a qual tinham contribuído as intensas lições de ballet.

No entanto, surgem agora dúvidas sobre as cenas que esta gravou no filme, revelações recentes que podem contrariar estas afirmações da actriz. O blog da publicação Dance Magazine lançou algumas revelações sobre a dupla de Portman, que sempre foi mantida longe das luzes da fama, facto que pareceu estranho à editora da revista.

Sarah Lane, bailarina profissional que foi dupla de Portman, refere que “os produtores criaram a farsa que ela se tornou bailarina em ano e meio”, apenas com o intuito de contribuir para que a artista, de origem judaica, recebesse o Óscar de melhor actriz, o que viria mesmo a acontecer, em Fevereiro de 2011.

Lane refere ainda que, por diversas vezes, o seu rosto foi alterado em pós-produção, sendo inserido digitalmente o de Natalie Portman.

Permanece a dúvida sobre as razões pelas quais só agora a bailarina vem desvendar estas histórias ao público. Lane refere que estava proibida de o fazer até a cerimónia dos Óscares. A verdade é que, durante a entrega do Óscar a Portman, esta não fez nenhum agradecimento à sua dupla, o que poderá ter tido impacto na decisão da bailarina de revelar agora estes segredos.

Natalie Portman ainda não reagiu publicamente. No entanto, o coreógrafo do filme e noivo da actriz, Benjamin Millepied, veio a público dizer que Portman fez 85% das cenas de bailado, número muito longe da estimativa de 5% feita por Sarah Lane.

Deste caso fica  uma grande questão: teria o Óscar sido atribuído a Portman se estas revelações tivessem sido feitas antes da cerimónia do Kodak Theatre? Possivelmente, nunca teremos uma resposta. Mas é muito provável que este assunto continue a ter destaque na actualidade cultural.