Nos últimos anos, têm sido muitos os filmes de animação de grande qualidade, aqueles que dificilmente alguém esquecerá. Os três Toy Story (1995, 1999 e 2010), Como Treinares o Teu Dragão (2010), Up – Altamente (2009), Wall-E (2008), À Procura de Nemo (2003) e tantos outros que também mereceriam destaque conquistaram um lugar especial junto de quem os viu – ninguém lhes consegue ficar indiferente. Como tal, sempre que surgem novos filmes animados nos cinemas, a expectativa é elevada, aguardando-se outra obra-prima.

Depois dos bem sucedidos Shrek 2 (2004) e de Spirit – Espírito Selvagem (2002), Kelly Asbury presenteia todos os fãs de animação com uma diferente adaptação de Shakespeare. Gnomeu e Julieta, que chega hoje às salas de cinema, apesar de muito divertido, não surpreende tanto como outros filmes do realizador e não ficará decerto para a história do género.

Tantas têm sido as obras do dramaturgo inglês trazidas para a Sétima Arte. Romeu e Julieta conta com diversas adaptações ao longo das décadas, desde o de 1936, realizado por George Cukor, passando pelo de Franco Zeffirelli ou o de Renato Castellani, por exemplo, ao mais recente Romeu + Julieta, de Baz Luhrmann. Asbury vem inovar, mostrando que também gnomos de jardim podem viver um amor proibido.

Sempre que os humanos viram costas, os gnomos ganham vida. Gnomeu e Julieta pertencem a famílias de jardins rivais, de um lado os azuis, do outro os vermelhos. Os dois apaixonam-se e terão de lutar pelo seu amor, vendo-se no meio de uma guerra entre jardins. O filme tem vários momentos musicais que contam com temas do seu produtor, Elton John, e que tornam a banda sonora um ponto interessante de Gnomeu e Julieta.

Kelly Asbury transforma esta tragédia de Shakespeare numa comédia que provocará muitas gargalhadas na sala de cinema, atrevendo-se mesmo a colocar o dramaturgo dentro da sua própria história, talvez para que este veja que podem existir diferentes interpretações da sua obra.

Na versão portuguesa é João Manzarra que dá voz a Gnomeu e Cláudia VieiraJulieta. O elenco nacional conta ainda com vozes de outros artistas bem conhecidas como Bruno Ferreira, Ana Bola, Fernando Ferrão, Simone de Oliveira, Rui Mendes, António Machado, Ricardo Carriço, entre outros. Todos fazem, na generalidade, um bom trabalho.

Manzarra sai-se muito bem como Gnomeu, mostrando mais uma vez ser um artista multifacetado. Cláudia Vieira, por sua vez, surpreende. Confesso que não esperava que se saísse tão bem como Julieta, mas a verdade é que faz um bom trabalho no papel. Destaco ainda o talentoso Bruno Ferreira, que dá voz a Benny, uma personagem que conquistará o espectador por ser, ao mesmo tempo, tão ingénuo e irritante, sendo também um dos responsáveis por muitos dos momentos de humor do filme.

Gnomeu e Julieta surge assim como um filme de animação divertido, com boas piadas e uma dobragem portuguesa bastante aceitável. Contudo, a história, mesmo tentando fugir ao típico Romeu e Julieta, não é nada de extraordinário (bem como as personagens, pouco complexas). É um filme que irá decerto entreter crianças e adultos, mas não será inesquecível.

6/10

Ficha Técnica:

Título original: Gnomeo & Juliet

Realizado por:  Kelly Asbury

Escrito por: Kelly Asbury, Mark Burton, Kevin Cecil, Emily Cook, Kathy Greenberg, Andy Riley, Steve Hamilton Shaw (argumento), John R. Smith, Rob Sprackling (argumento original), William Shakespeare (história)

Elenco (versão portuguesa): João Manzarra, Cláudia Vieira, Ana Bola, António Machado, Bruno Ferreira, Simone de Oliveira, Fernando Ferrão, Ricardo Carriço, Rui Mendes, Ermelinda Duarte, Sérgio Godinho.

Elenco (versão original): James McAvoy, Emily Blunt, Ashley Jensen, Michael Caine, Matt Lucas, Jim Cummings, Maggie Smith, Jason Statham, Patrick Stewart

Género: Animação, Aventura, Comédia

Duração: 84 minutos

Crítica escrita por: Inês Moreira Santos