2003 é o ano em que Júlia Pinheiro inicia o seu longo e mediático percurso na TVI, onde viria a desempenhar a função de subdirectora de programação.

Eu Confesso é o programa que marca a sua estreia na estação de Queluz de Baixo. Neste programa, juntava em estúdio pessoas condenadas por crimes da mais variada espécie e as suas vítimas e famílias, analisando-se os casos e mostrando-se a versão do próprio condenado.

Ainda no mesmo ano, Júlia apresenta A Grande Oportunidade, um concurso inovador onde o prémio era um contrato de emprego para o vencedor.

Junta-se a Teresa Guilherme, na altura a anfitriã do tão polémico Big Brother, Cinha Jardim, uma das mais conhecidas socialites do jet-set português, e Margarida Rebelo Pinto, escritora, para um programa bem feminino e com um nome a condizer: Rosa Choque.

httpv://www.youtube.com/watch?v=Bsxwg7uVrOI

Ingressa na informação, fazendo dupla com Henrique Garcia, para o novo espaço informativo das manhãs da TVI, o Diário da Manhã.

A escalada na montanha que a tornaria um grande fenómeno começa a trilhar-se em 2004, com o polémico reality show Quinta das Celebridades. O programa que juntou famosos habituados ao luxo numa quinta onde teriam de se desenvencilhar sozinhos catapulta Júlia Pinheiro para o lugar de uma das apresentadoras mais queridas do público português.

httpv://www.youtube.com/watch?v=psKKYFNmteU

A filha única que queria ser arqueóloga acrescenta ainda uma vasta lista de reality shows ao currículo na TVI: Primeira Companhia, Circo das Celebridades, O Meu Odioso e Inacreditável Noivo, Pedro, o Milionário e Casamento de Sonho.

Dedica-se ainda à apresentação de formatos de procura de talento: Canta por Mim, o programa de 2006 que colocava os famosos como padrinhos de causas sociais, lutando através do canto com os seus afilhados; Uma Canção para Ti, onde juntamente com Manuel Luís Goucha procurava encontrar os novos nomes infantis e juvenis da música nacional; e Quem é o Melhor?, um programa de 2009 que procurava encontrar o melhor talento juvenil.

Programas mais alternativos como Doutor, Preciso de Ajuda e Depois da Vida fazem ainda parte da experiência da entertainer.

Júlia Pinheiro foi ainda o nome escolhido para dar dinâmica às tardes de Queluz, uma das grandes lacunas da estação até então, em 2007. O seu talk show, As Tardes da Júlia, com o conhecido passatempo Cara e Coroa, manteve-se no ar até ao final de 2010, altura em que Júlia assina pela estação que lhe serviu de berço, a SIC.

Durante as tardes, Júlia criou marcos que se adaptaram a outros formatos que foi apresentando. Desde o rosnar ao rebolar, a apresentadora nunca se mostrou preocupada em manter a seriedade, conquistando a simpatia do público, rumo à conquista do primeiro lugar por parte do antigo canal da Igreja.

Júlia despede-se dos ecrãs da TVI na noite de passagem de ano com a gala final de Secret Story – A Casa dos Segredos, o grande fenómeno televisivo de 2010.

Para além da televisão e rádio, a apresentadora aprecia a escrita e a leitura. Em 2009, lança o seu primeiro romance, Não sei nada sobre o amor, alcançando os tops nacionais de venda. Prepara agora o segundo, para breve.

A “Senhora Dona Júlia”, como é tratada pelo público mais fiel, prepara-se para mudar as manhãs da estação de Carnaxide já a partir da próxima segunda-feira, dia 14 de Março, com o seu programa Querida Júlia. Outros projectos, ainda envoltos em mistério, esperam também Júlia como a sua anfitriã.

httpv://www.youtube.com/watch?v=i7AyYQad53k

Com uma carreira bem demarcada e repleta de variedade, Júlia Pinheiro é, sem qualquer dúvida, uma das figuras que a maioria dos portugueses não hesita em escolher para sua companhia televisiva.