Mil milhões de euros, e a obrigação de não desenvolver nenhum smartphone com outro sistema operativo que não o Windows Phone 7, foi a proposta da Microsoft à Nokia, que já se encontra em vigor, numa tentativa de evitar o declínio da companhia finlandesa.

A revolução nas comunicações móveis graças ao IPhone – e respectivo sistema, o I’Os – e ao Android tem-se revelado desastrosa para a Nokia. O último trimestre de 2010 aponta para quebras nas vendas superiores a 20% em todos os equipamentos. A parceria entre a Microsoft de Steve Ballmer e a finlandesa foi uma completa surpresa aos olhos dos analistas, que previam que a Nokia se juntasse ao já extenso leque de marcas que se dedicam à construção de terminais com o sistema operativo da Google.

Esta semana ficou-se a saber que  a parceria só foi possível porque a Microsoft “ofereceu” mil milhões de euros para o desenvolvimento de novos smartphones com a obrigação, por parte da Nokia, de se centrar somente no Windows Phone 7. Isto significa que os sistemas Symbian e o mais recentemente anunciado Meego, ambos desenvolvidos pela Nokia, terão os dias contados. Os especialistas afirmam que esta jogada por parte da Microsoft é uma tentativa de impor a todo o custo o seu sistema operativo, aproveitando-se da fraca prestação da Nokia nos últimos dois anos.

O problema, segundo os mesmos, é que caso esta parceria não vingue – as vendas do Windows Phone 7 nos terminais LG, Samsung e HTC são pouco expressivas – a Nokia poderá ser bastante afectada. Prevê-se que os primeiros modelos com o novo sistema operativo adoptado surjam no 3º trimestre deste ano.