Be Yourself. É este o nome da primeira co-produção que estreará o Festival Internacional de Dança, promovido pelo GUIdance, que o Centro Cultural de Vila Flor de Guimarães irá acolher do dia 10 a 19 de Março.

O evento visa consolidar o estatuto de Capital Europeia da Cultura de que Guimarães se irá orgulhar de ser já no próximo ano. É deste modo que se vem confirmando o carácter multifacetado deste espaço, palco de iniciativas como o Guimarães Jazz, os Festivais Gil Vicente ou os Encontros Internacionais de Música de Guimarães.

A Australian Dance Theater marcará, então, presença em Guimarães propositadamente para o Festival, num espectáculo coreografado pelo Director Artístico da companhia, Garry Stewart, que procurará, segundo o site da organização, conjugar “dança, música, palavra, vídeo e arquitectura numa experiência tridimensional intemporal“, coabitando no mesmo espaço, as maravilhas da tecnologia com a dualidade entre corpo e pensamento.

Porém, o GUIdance não se fica por uma abordagem apenas, promovendo nos dias seguintes espectáculos como Mapacorpo, que reúne em dueto Amélia Bentes e Leonor Keil, contando, igualmente, com a participação do músico Vítor Rua e o desenhador digital Jorge Gonçalves, em tempo real (dia 11). Para o dia 12, um clássico da dança contemporânea criado em 1983, da autoria de Anne Teresa Keersmaeker, Rosas danst Rosas, inúmeras vezes já apresentado pelo mundo inteiro, seguindo-se no dia 17 Entre todas as coisas, de Teresa Prima, bem como uma apresentação dupla da Companhia Olga Roriz com os espectáculos Electra e A Sagração da Primavera.

O programa é vasto e dele farão parte ainda um masterclasse de Técnicas de Dança Contemporânea ministrado pela Australian Dance Theater, ou então um momento mais descontraído num Café Falado com Paulo Pinto. Será assim que pelo palco do CCVF se irão apresentar companhias nacionais e internacionais de grande qualidade, reconhecidas por todos os que fazem parte deste mundo da dança.