Quem disse que Lisboa e Porto nunca se deram muito bem? Ao julgar pelo Ciclo de Teatro do Porto?, a decorrer em Lisboa entre 18 de Fevereiro e 27 de Março parece que a amizade está óptima e recomenda-se.

Com o subtítulo de De António Pedro à Fábrica da Rua da Alegria, o ciclo patente no Teatro S. Luiz pretende percorrer todo o percurso histórico que constrói a cena teatral do Porto através das 18 companhias que vêm à capital mostrar o que de melhor se tem feito e faz nos palcos da cidade nortenha.

O Espalha-Factos deixa aqui as datas e pequenas descrições de alguns dos vários espectáculos que constituem este ciclo:

Durante os dias 4 e 5, sobe ao palco a peça Ossário, da ASSéDIO, que conta a história de três mulheres numa comunidade ficcional marcada pela ausência de qualquer espécie de bondade e que tentam sobreviver num lugar perdido e desumano.

O grupo Ensemble leva a cena a peça Dueto para Um, durante os dias 5 e 6 de Março, contando a história de uma conceituada violinista que contrai esclerose múltipla no auge da sua carreira, revelando os seus sentimentos mais profundos e íntimos.

O período compreendido entre dia 9 e 13 fica sob a responsabilidade do grupo Circulando, apresentando dois projectos completamente diferentes entre si: Areia (excertos), nos dias 9 e 10, e Mansarda, nos dias 12 e 13.

A Comissão é o espectáculo levado ao público nos dias 18 e 19. O projecto Visões Úteis apresenta uma peça divertida que conduz, simultaneamente, a uma reflexão sobre os actuais mecanismos de decisão política e económica. Nos mesmos dias, o projecto As Boas Raparigas vão para o Céu, as Más para Todo o Lado põe em cena a peça Libração.

A companhia Teatro do Bolhão, nome já mais conhecido do público lisboeta por frequentemente apresentar o seu trabalho nos palcos da capital, apresenta nos dias 19 e 20 a peça Mão na Boca.

O ciclo termina no dia 27 de Março com a Tarde Mundial do Teatro, com mais de uma dezena de actuações entre as 16 e as 20 horas. Uma miscelânea de trabalhos de representação da autoria das mais jovens companhias do Porto, que garantem uma tarde em tudo diferente.

Mais informações sobre o Ciclo de Teatro do Porto?, como horários, salas e preços, podem ser encontradas aqui.

Poderá estar a pensar: “Quem me dera ir ao Porto…”. A verdade é que a Cidade Invicta instalou-se no S. Luiz para dar se dar a conhecer através da arte dos seus palcos. Vai deixar fugir a oportunidade?