Foi na madrugada de hoje  que a actriz norte-americana de Os homens preferem as loiras, Jane Russell, faleceu. Tinha 89 anos de idade. A causa da morte, segundo a sua  família, foram os problemas respiratórios de que sofria.

Nascida em 1921, no estado do Minnesota, Jane foi um dos sex symbols da década de 1940 e 1950. Muito lembrada por papéis em filmes como Os homens preferem as loiras de 1953, (era a morena da história e  Marilyn Monroe, era a loira), ou O Proscrito – o seu primeiro filme -, que foi censurado devido às cenas demasiado sensuais e só voltou a ser permitido em 1943. A verdade é que foram as suas notórias curvas e  peito volumoso, que lhe deram acesso a este seu primeiro papel e  a lançaram para a fama. Também Paleface (1948), um western cómico com Bob Hope, foi um dos marcos da sua carreira cinematográfica.

Jane Russell e Marilyn Monroe em 'Os homens preferem as loiras'

Porém, a vida de Jane não foi só a  “boa fama”, também foi falada por motivos menos inspiradores… Além de ser rotulada como “rebelde” para a sua altura por defender temas sensíveis como o aborto, sofreu de problemas de alcoolismo e, devido a um aborto clandestino, fica impossibilitada de ter filhos. Isso não impediu a actriz de se casar (três vezes) e adoptar três crianças (com o seu primeiro marido). Jane Russell é também lembrada como republicana e cristã.

A sua experiência de adopção foi muito marcante, levou-a a  fundar o World Adoption International Fund, que deu um lar a mais de 50 mil crianças. Venceu em 1989 o Women’s International Center Living Legacy Award, devido a este seu contributo às crianças sem famílias.

Segundo contou a nora da actriz à Associated Press, a sua saúde estava fraca há cerca de duas semanas. Sofria de problemas respiratórios, que despoletaram a sua morte, nesta madrugada de 1 de Março. Estava na sua casa em Santa Maria, Califórnia. Tinha junto dela os seus três filhos.

Veja um vídeo da actriz em Os Homens preferem as loiras, no papel da morena Dorothy Shaw, aquiaqui.