roman

Prémios César: A Rede Social vence Melhor Filme Estrangeiro

Muitos se esquecem que o cinema europeu também pode ser rotulado de «cinema de qualidade».Há vários anos que tanto actores como realizadores, passando ainda por produtores e equipa técnica, todos eles europeus, têm provado ao mundo que merecem ser reconhecidos por todo o bom trabalho que desempenham. Foi neste sentido que, em 1974, George Cravenne reuniu vários profissionais do cinema da Academia de Artes e Tecnologias de Cinema e criou os prémios César.

Com o objectivo de valorizar o cinema europeu e dar a conhecer as produções europeias, os prémios César estão há mais de 10 anos a premiar os mestres da Sétima Arte, alargando-se, também, a filmes de Hollywood, o que não estava previsto na ideia inicial de Cravenne.

A cerimónia anual, também conhecida como La Nuit de Césars, decorre no Teatro do Châtelet, em Paris, e foi na passada sexta-feira, dia 25 de fevereiro, que ficámos a conhecer os premiados da 36ª gala.

Roman Polanski foi o «homem da noite», ao receber o César de Melhor Director e Melhor Adaptação, pelo seu filme  O Escritor Fantasma. O filme, finalizado quando o cineasta estava em prisão domiciliária na Suíça, em Setembro de 2009, devido à acusação de ter tido relações sexuais com uma menor, em 1977, conta a história de um ghost writer, papel desempenhado pelo actor Ewan McGregor, que se vê cara a cara com a corrupção, ao aceitar escrever as memórias do ex-ministro britânico, Adam Lang, interpretado por Pierce Brosnan. O director de 77 anos recebeu, ainda, mais duas estatuetas de Melhor Banda Sonora Original, para Alexandre Desplat, e Melhor Montagem, tendo sido aplaudido, em pé, por todos os presentes na cerimónia.

Dos Homens aos Deuses, um filme de Xavier Beauvois, foi premiado com o César de Melhor Filme e “passa uma mensagem de igualdade, liberdade e fraternidade”, como afirma o realizador Beauvois, na cerimónia dos Césares. Quanto à sua história, esta retrata os últimos meses de vida dos monges assassinados em 1996, na Argélia, durante a guerra civil. Apelidado de o «favorito da noite», o filme do realizador francês tinha onze nomeações, vencendo Melhor Actor Secundário, Michael Lonsdale, e Melhor Fotografia. Dos Homens aos Deuses recebeu, ainda, o grande prémio do Festival de Cannes em 2010, apesar de não ter conseguido nenhuma nomeação para os Óscares.

Outro grande vencedor da noite foi o filme de David Fincher, que se encontra nomeado na categoria de Melhor Filme para os Óscares, que irão decorreu esta noite. A Rede Social, que nos conta a origem do facebook, recebeu o César de Melhor Filme Estrangeiro.

Joann Sfar, um ainda jovem realizador, recebeu o prémio de Melhor Primeiro Filme, com Gainsbourg – Vida Heróica, pelas mãos de Roman Polanski. Do mesmo filme surge, também, outro vencedor: Eric Elmosnino, que foi galardoado pelo César de Melhor Actor.

A cerimónia francesa começou com uma homenagem à actriz e intérprete de  E o Vento Levou e As Aventuras de Robin Hood, Olivia de Havilland. Vencedora de dois Óscares da Academia, um em 1946 e outro em 1949, a actriz anglo-americana nascida no Japão, de 94 anos, recebeu uma longa ovação de pé por parte de toda a plateia que lhe prestou tributo, no início da gala. O realizador americano, Quentin Tarantino, também não podia escapar a uma pequena homenagem e recebeu, pelas mãos dos intérpretes do seu filme Sacanas sem Lei, Diane Kruger e Christoph Waltz, um César de honra.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Estela Machado RTP Porto Canal
Estela Machado sai da RTP para a direção de informação do Porto Canal