O Espalha-Factos continua a publicar, em conjunto com o Clique, a coletânea com as dez melhores séries dos últimos dez anos na televisão nacional e internacional segundo a equipa da revista online. Esta semana, Dr. House e Donas de Casa Desesperadas.

Dr. House (2004)

por Gonçalo André Simões |

Como escolher entre um médico preocupado e amigável à cabeceira e um médico viciado em medicamentos, antissocial e que considere os seus pacientes como meros puzzles a resolver? O segundo, se esse médico for House. É que, apesar do mau humor permanente, este é o melhor médico de diagnóstico a nível mundial, conseguindo resolver os casos em que todos os outros falharam.

Criado por David Shore, Dr. House está agora na sua sétima temporada, tendo estreado na FOX em novembro de 2004. Louvado pela crítica, esteve sempre entre as 10 séries mais vistas nos EUA durante as suas primeiras quatro temporadas; foi até o programa de televisão mais visto a nível mundial em 2008.

Transmitido em mais de 60 países e com 38 prémios em 105 nomeações no palmarés, a história de House continua a seduzir milhões em todo o mundo e por vezes até demais. Em 2007, Pekka-Eric Auvinen matou oito pessoas na escola de Jokela, na Finlândia. Na t-shirt que usava quando anunciou o ataque, via Youtube, podia ler-se a frase de abertura do site oficial da série até esse dia: “A humanidade é sobrevalorizada”. Daí em diante, a frase foi retirada.

Donas de Casa Desesperadas (2004)

por Carolina Moreira |

4 Mulheres. Um pacato bairro dos subúrbios. Uma vida aparentemente perfeita. Donas de Casa Desesperadas é uma série de comédia-drama americana que conta a vida destas mulheres através dos olhos de uma vizinha que inesperadamente cometeu suicídio. A vida familiar, os segredos, crimes e mistérios são desvendados, mostrando o que realmente acontece por detrás de toda aquela perfeição.

Criada por Marc Cherry e transmitida pela ABC, esta série estreou em 2004 e logo se tornou um fenómeno cultural. Prova disso foi a atenção dada ao conceito de “donas de casa desesperadas”, principalmente nos EUA, onde Dr. Phil e Oprah Winfrey analisaram esta realidade nos seus programas. Até a Primeira-dama na altura, Laura Bush, iniciou o seu discurso no jantar da Associação de Correspondentes da Casa Branca, em 2005, dizendo: “Ladies and Gentlemen, I am a desperate housewife”, referindo-se à série.

Encontrando-se já na 7ª temporada e sendo uma das séries mais vistas em todo o mundo, com uma audiência, em 2007, de 120 milhões de pessoas, Donas de Casa Desesperadas é detentora de vários Emmys, Globos de Ouro e Screen Actors Guild. Estes prémios foram alvo de algum interesse por parte dos media, principalmente pelo facto de, no final da 1ª temporada, a única atriz a não ser nomeada ter sido Eva Longoria Parker.