A II Gala Prémio Autores SPA/RTP teve lugar esta noite no Centro Cultural de Belém, com transmissão na RTP 1 e apresentação de Catarina Furtado. Filme do Desassossego, de João Botelho, o Mongrel de Mário Laginha Trio e Condenados de Sofia Pinto Coelho, foram alguns dos vencedores da noite. Estes prémios da Sociedade Portuguesa de Autores distinguiram, mais uma vez, as melhores obras e os melhores autores em diversas áreas criativas.

Na categoria de cinema, Filme do Desassossego, de João Botelho, conquistou o prémio de melhor filme e Cláudio da Silva o de melhor actor, pela sua interpretação de Bernardo Soares. Beatriz Batarda levou para casa o prémio de melhor actriz, pelo seu desempenho no filme Duas Mulheres. O melhor argumento foi de Carlos Saboga, em Mistérios de Lisboa.

Quanto à música, Retrato, de Mário Cláudio e Bernardo Sassetti, ganhou o prémio para melhor canção, e Mangrel de Mário Laginha Trio foi considerado o melhor disco. O prémio para melhor trabalho de música erudita foi entregue a Sérgio Azevedo pelo seu Concerto para Piano.

Pessoal… e Transmissível, de Carlos Vaz Marques, conquistou o prémio Autores para melhor programa de rádio. Na categoria de televisão, Condenados, de Sofia Pinto Coelho (SIC), ganhou de entre os programas de informação. A Noite Sangrenta, de Tiago Guedes e Frederico Serra (RTP), conquistou o prémio para melhor programa de ficção. No que toca ao entretenimento, o vencedor foi As Horas do Douro, de António Barreto e Joana Pontes.

Eduardo Lourenço recebeu o prémio Vida e Obra.

O Prémio Autores distinguiu ainda as áreas das artes visuais, literatura, dança e teatro.

Inês Moreira Santos